Documentos audiovisuais são arquivos? Reflexões a partir de conceitos clássicos e contemporâneos

Luiz Antonio Santana da Silva, Telma Campanha de Carvalho Madio

Resumo


Este artigo tem por finalidade apresentar à discussão definições de arquivo encontradas nos primeiros manuais de arquivística, a fim de apontar a compreensão da época quanto ao conceito de arquivo, além de verificar se havia inclusões de outros gêneros documentais, que não textual, como documentos integrantes dos conjuntos orgânicos. A partir desses marcos teórico-metodológicos presentes na arquivologia, trouxemos o entendimento do conceito de arquivo, retirados da Legislação Arquivística Brasileira e do Dicionário Brasileiro de Terminologia Arquivística para analisarmos e detectarmos o perfil arquivístico de documentos audiovisuais. Abordamos os conceitos europeus de arquivo, uma vez que a arquivologia difundida no Brasil possui raízes europeias, com o propósito de contextualizar a discussão fornecendo consistência para que pudéssemos compreender que documentos audiovisuais são documentos de arquivo e que, consequentemente fazem parte de conjuntos orgânicos, sendo esse perfil amparado pela própria legislação arquivística. Foi necessária essa caracterização devido ao fato de que esses documentos são comumente considerados como coleções ou arquivos especiais.


Palavras-chave


Documento de Arquivo; Arquivo; Documento Audiovisual; Arquivologia

Texto completo:

PDF/A

Referências


ALBERCH FUGUERAS, R. Los Archivos entre la memoria y la sociedad del conocimiento. Barcelona, 2003.

ARQUIVO NACIONAL (Brasil). Dicionário Brasileiro de Terminologia Arquivística. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2005.

BRENNEKE, Adolf; LEESCH, Wolfgang. Archivkunde : ein Beitrag zur Theorie und Geschichte des europäischen Archivwesens. Nachdr. d. Orig.Ausg. Leipzig, Koehler u. Amelang, 1953. München : Saur, 1988. 496 p. Disponível em: < http://site.ebrary.com/lib/alltitles/docDetail.action?docID=10591290 >. Acesso em: 19 dez. 2013.

CAMARGO, A. M. de A.; BELLOTTO, H. L. (Coord.). Dicionário de terminologia arquivística. São Paulo: Associação dos Arquivistas Brasileiros, Núcleo Regional de São Paulo; Secretaria de Estado da Cultura, 1996, 142 p.

CARUCCI, Paola. Le fonti archivistiche: ordinamento e conservazione. Roma: La Nuova Itália Scientifica, 1983.

CENCETTI, G.. Sull'archivio come universitas rerum. In: Archivi. Roma, ano IV, p. 7-13, 1937. Disponível em: < http://www.icar.beniculturali.it/biblio/pdf/articoli/univarc.PDF >.

Acesso em: 10 jun. 2013.

BRASIL. Lei n. 8.159, de 08 de janeiro de 1991. Dispõe sobre a política nacional de arquivos públicos e privados e dá outras providências. Legislação Arquivística Brasileira: Leis e Decretos-Leis, Rio de Janeiro, 2012. Disponível em: < http://www.conarq.arquivonacional.gov.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?from_info_index=11&infoid=100&sid=52 >. Acesso em: 10 jun. 2013.

CORTÉS ALONSO, V. Manual de archivos municipales. 2. ed. cor. y amp. Madrid: Asociación Española de Archiveros, Bibliotecarios, Museólogos y Documentalistas, 1989.

CRUZ MUNDET, J. R. Archivos municipales de Euskadi: manual de organización. Vitoria: Instituto Vasco de Administración Pública, D. L. 1992.

DELMAS, B. Arquivos para quê?: textos escolhidos. São Paulo: Instituto Fernando Henrique Cardoso, 2010.

DUPLÁ DEL MORAL, A. Glosario de terminología archivística. Revista del Archivo General de la Nación, Lima, n. 25, p. 35-41, 2005.

HEREDIA HERRERA, A. Qué es un archivo? Gijón: Trea, 2006.

HEREDIA HERRERA, A. Archivistica general. Teoria y practica. Sevilha: Diputación de Sevilla, 1991.

HOUAISS, A.; VILLAR, M. S. Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa. Rio de Janeiro: Objetvo, 2001.

LODOLINI, E. Archivistica: principi e problemi. 7ª ed. ampl. Milano: Franco Angeli, 1995.

PANELLA, A. Come ordinare gli archivi. Notizie degli Archivi di Stato, 1948.

PAVONE, C. Ma è poi tanto pacifico che l’archivio rispecchi l’istituto?. In: Rassegna degli Archivi di Stato, 1970.

ROMERO TALLAFIGO, M. Archivística y archivos: Soportes, edificios y organización, Carmona, Asociación de Archiveros de Andalucía, 1994.

SANDRI, L. Archivi di Stato. Napoli: Giuffrè, 1958.

SCHELLENBERG, T. R. Manual de arquivos. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 1959.

UNESCO. Recomendaciones para la preservación y conservación de imágenes movibles. Belgrado, 1980.


Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2014 ÁGORA ISSN 0103-3557



ÁGORA: Arquivologia em debate
Universidade Federal de Santa Catarina, ISSN 0103-3557, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.

Licença Creative Commons Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional. Apoio técnico de Lepidus Tecnologia