[ARTIGO RETRATADO] As instituições arquivísticas na sociedade da informação e a necessidade de uma gestão documental sistêmica

Jorge Santa Anna, Luiz Carlos Silva

Resumo


A gestão documental tem se constituído um dos temas mais debatidos na arquivística moderna, sobretudo com as novas tendências ocasionadas a partir da evolução tecnológica e da Sociedade da Informação. No entanto, inúmeros desafios abrangem sua consolidação, especialmente nos arquivos públicos, pois, muitas vezes, problemas de padronização e integração perfazem o contexto dessas instituições. Assim sendo, este estudo objetiva analisar na literatura, pesquisas sobre gestão documental, realizadas em arquivos públicos com vistas à integração documental produzida nesses arquivos. O estudo traz à baila algumas características e conceituações de documento, arquivo, gestão documental e gestão documental sistêmica. Demonstra os fatores que interferiram na modernização das unidades de informação, refletindo sobre a necessidade de adentração do arquivo nas redes de informação/conhecimento, tornando-o uma unidade integrada. Metodologicamente, utilizou-se revisão bibliográfica em livros sobre gestão documental, artigos, teses e dissertações produzidos nos últimos cinco anos e indexados no portal SciELO e em repositórios institucionais e, por fim, utilizou-se, também, a consulta à legislação arquivística. Os resultados confirmaram que o termo “gestão documental sistêmica” ainda não está sendo utilizado pelos teóricos da área, no entanto, ao abordar a gestão documental, presume-se que ela deve ser conduzida com base em novos instrumentos, metodologias e recursos arquivísticos, disponibilizados em ambiente digital, sendo devidamente compartilhados, consumando uma ambiência arquivística dinâmica, interativa e integrada, permeada por trabalho colaborativo.


Palavras-chave


Gestão de documentos; Gestão documental sistêmica; Trabalho colaborativo

Texto completo:

PDF/A

Referências


ALVARENGA, Lidia. Organização da informação nas bibliotecas digitais. In: NAVES, Madalena Martins Lopes; KURAMOTO, Hélio (Org.). Organização da informação: princípios e tendências. Brasília: Briquet de Lemos, 2006.

ARQUIVO NACIONAL (Brasil). Dicionário brasileiro de terminologia arquivística. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2005. Disponível em:

br/Media/Di cion%20Term%20Arquiv.pdf >. Acesso em: 14 maio 2011.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Lisboa: Ed. 70, 2007.

BELÉM, Fabiane Marques. A gestão sistêmica de arquivos a partir da análise dos sistemas estaduais de São Paulo e Rio Grande do Sul. Monografia (Graduação em Arquivologia, Departamento de Ciência da Informação, Universidade Federal do

Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2009. Disponível em: < http://

www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/22774/000741065.pdf?sequence=1>. Acesso em: 25 mar. 2014.

BERNARDES, Ieda Pimenta. Como avaliar documentos de. São Paulo: Arquivo do Estado, 1998.

BERNARDES, Ieda Pimenta. Gestão documental e preservação da memória. In: ENCONTRO NACIONAL DA MEMÓRIA DA JUSTIÇA DO TRABALHO, 5 – Tribunal Regional do Trabalho da 8ª Região, Belém, 13 a 15 de outubro de 2010. Disponível em: . Acesso em: 24 mar. 2014.

BRASIL. Lei n. 8159, de 8 de janeiro de 1991. Dispõe sobre a política nacional de arquivos públicos e privados e dá outras providências. Disponível em:

_03/leis/L8159.htm>. Acesso em: 20 maio 2014.

BRIET, Suzanne. Qu’est-ce que la documentation?. Paris: Édit, 1951, 44p. Disponível em: . Acesso em: 20 maio 2014.

CARVALHO, Isabel Cristina Louzada; KANISKI, Ana Lúcia. A sociedade do conhecimento e o acesso à informação: para que e para quem?. Ciência da Informação, Brasília, v. 29, n. 3, p. 33-39, set./dez. 2000. Disponível em: < http://dx.doi.org/10.1590/S0100-1965200000

>. Acesso em: 18 fev. 2013.

CARVALHO, Isabel Cristina Louzada. A socialização do conhecimento no espaço das bibliotecas universitárias. Niterói: Intertexto; Rio de Janeiro: Interciência, 2004.

CHECKLAND, P.; SCHOLES, J. Soft Systems Methodology in Action. Chichester: John Wiley & Sons, 1992.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Mil Platôs: capitalismo e esquizofrenia. São Paulo: Ed. 34, 1995.

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4ª ed., São Paulo: Atlas, 2002.

JARDIM, José Maria. As novas tecnologias da informação e o futuro dos arquivos. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v. 5, n. 10, 1992, p. 251-260.

JARDIM, José Maria. A invenção da memória nos arquivos públicos. Ciência da Informação, Brasília, v. 5, n. 2, 1995.

KURAMOTO, H. Acesso livre. In: TOUTAIN, L. M. B. B. (Org.). Para entender a ciência da Informação. Salvador: EDUFBA, 2007. p. 145-160.

LAMPERT, Sérgio Renato; FLORES, Daniel. Os Sistemas de workflow em arquivística: a identificação dos modelos e a análise das ferramentas. Perspectivas em Ciência da Informação, v. 15, n. 3, p. 216-232, set./dez. 2010. Disponível em:

scielo.br/pdf/pci/v15n3/12.pdf>. Acesso em: 20 maio 2014.

LIMA, Gercina Ângela Borem. Organização da informação para sistemas de hipertextos. In: NAVES, Madalena Martins Lopes;

KURAMOTO, Hélio (Org.). Organização da informação: princípios e tendências. Brasília: Briquet Lemos, 2006.

MORIGI, Valdir José; PAVAN, Cleusa. Entre o “tradicional” e o “virtual”: o uso das tecnologias de informação e comunicação e as mudanças nas bibliotecas universitárias. Florianópolis, Revista ACB, Florianópolis, v. 8, n. 2, 2003. Disponível em:

racb/article/view/391/481>. Acesso em: 15 abr. 2014.

OLIVEIRA, Marlene de. Origens e evolução da Ciência da Informação. In: OLIVEIRA, Marlene de (Coord.). Ciência da Informação e Biblioteconomia: novos conteúdos e espaços de atuação. Belo Horizonte: UFMG, 2005.

PACKER, Abel Laerte et al. SciELO: uma metodologia para publicação eletrônica. Ciência da Informação, Brasília, v. 27, n. 2, 1998. Disponível em:

arttext&pid=S0100-19651998000200 002&lng=pt&nrm=iso>. Acessos em 26 mar. 20 13. http://dx.doi.org /10.1590/S0100-19651998000200002.

PAES, M. L. Arquivo: Teoria e Prática. 3ª ed.; Rio de Janeiro: FGV, 2004.

REIS, Luis. O arquivo e a Arquivística: evolução histórica. Biblios, Perú, v. 7, n. 24, abr./jun., 2006. Disponível em: .

SANTA ANNA, Jorge. A (r)evolução digital e os dilemas para a catalogação: os cibertecários em atuação. In: ENCONTRO INTERNACIONAL DE CATALOGADORES, 9; ENCONTRO NACIONAL DE CATALOGADORES, 2, Anais Eletrônicos.... Rio de Janeiro: Biblioteca Nacional, 2013.

SANTOS, Rosilene Silva dos. Gestão de documentos na administração pública estadual de Minas Gerais: um estudo de caso. 2013. 168f. Dissertação (mestrado) – Escola de Ciência da Informação, Universidade Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte, 2013. Disponível em: . Acesso em: 20 maio 2014.

SÃO PAULO, Lei n. 10.082, de 1982. Dispõe sobre a implantação da Política de Gestão Sistêmica de Documentos e Informações Municipais – GSDIM e dá outras providências. Disponível em:

administracao/arquivos/Lei_10082.pdf>. Acesso em: 25 mar. 2014.

SCHÄFER, Murilo Billig; LIMA, Eliseu dos Santos. A classificação e a avaliação de documentos: análise de sua aplicação em um sistema de gestão de documentos arquivísticos digitais. Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v. 17, n. 3, p. 137-154, jul./set. 2012. Disponível em:

/pci/v17n3/a10v17n3.pdf>. Acesso em: 20 maio 2014.

SCHELLENBERG, Theodore R. Arquivos modernos: princípios e técnicas. Rio de Janeiro: FGV, 2005.

SILVA, Luiz Carlos da. Políticas Públicas de Arquivo: a gestão documental do Arquivo Público do Estado do Espírito Santo. 2013. 137f. Dissertação (Mestrado) – Escola de Ciência da Informação, Universidade Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte, 2013. Disponível em:

ufmg.br/dspace/bitstream/handle/1843/ECIC-9C2NQR/pol_ticas

_p_blicas_de_arquivo_a_gest_o_documental_do_arquivo_p_blico_do__estado_do_esp_rito_santo.pdf?sequence=1>. Acesso em: 20 maio 2014.

TAKAHASHI, Tadao. Sociedade da Informação no Brasil: livro verde. Brasília: Ministério da Ciência e Tecnologia, 2000.

TOMAÉL, Maria Inês. Redes de conhecimento. DataGramaZero, Rio de Janeiro, v. 9, n. 2, abr. 2008. Disponível: < http://www.dgz.org.br/abr08/Art_04.htm >. Acesso em: 15 nov. 2014.

TOMAÉL, Maria Inês. Redes de informação: o ponto de contato dos serviços e unidades de informação no Brasil. Informação Informação, Londrina, v. 1-2, jan./dez. 2005.

WEITZEL, Simone da Rocha. O desenvolvimento de coleções e a organização do conhecimento: suas origens e desafios. Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v. 7, n. 1, p. 61-67, jan./jun. 2002. Disponível em: < http://portaldeperiodicos.eci.ufmg.br/index.php/pci/article/view/414/227 >. Acesso em: 20 maio 2014.


Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2015 ÁGORA, ISSN 0103-3557, Florianópolis

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

ÁGORA: Arquivologia em debate
Universidade Federal de Santa Catarina, ISSN 0103-3557, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.

Licença Creative Commons Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional. Apoio técnico de Lepidus Tecnologia