Princípio da territorialidade: trajetórias e definições

Fernando Gabriel Corrêa, Angelica Alves da Cunha Marques

Resumo


Partindo dos conceitos de “princípio científico” e de território, este artigo apresenta os marcos históricos e as definições do princípio da territorialidade, na abordagem arquivística. Parte de uma pesquisa de mestrado analisa a importância do princípio para o desenvolvimento da arquivologia como disciplina científica mediante a análise de 35 manuais da área. Considera a história dos arquivos e a trajetória da disciplina, bem como a trajetória prática, teórica e legal do referido princípio. Os resultados alcançados neste estudo mostram que o princípio da territorialidade é apresentado historicamente em seis obras analisadas, definido em oito obras e tem suas contribuições para a arquivologia apresentadas em dez obras. Concluímos que o princípio da territorialidade auxilia a arquivologia a se formar como disciplina científica, desdobrando-se do princípio da proveniência e aplicado no caso de contenciosos arquivísticos.


Palavras-chave


Arquivologia; Princípio da Territorialidade; Princípio da Proveniência

Texto completo:

PDF/A

Referências


ABBAGNANO, Nicola. Dicionário de Filosofia. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

ACCIOLY, Hildebrando; SILVA, G. E. do Nascimento e; CASELLA, Paulo Borba. Manual de direito internacional público. 20. ed. São Paulo: Saraiva, 2012.

ARQUIVO NACIONAL. Dicionário brasileiro de terminologia arquivística. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2005.

ASSOCIATION DES ARCHIVISTES FRANÇAIS. Manuel d’Archivistique: théorie et pratique desarchives publiques en France. Paris: Direction des Archives de France, 1970.

BAUTIER, Robert-Henri. Les Archives. Paris: Gallimard, 1961.

BELLOTTO, Heloísa Liberalli. Arquivos permanentes: tratamento documental. 4. ed. Rio de Janeiro: FGV, 2006.

BERNER, Richard C. Archival Theory and Practice in the United States: a historical analysis. Seattle: University of Washington Press, 1983.

BRENNEKE, Adolf. Archivistica: contributo alla teoria ed alla storia archivistica europea. Testo redatto ed integrato da Wolfgang Leesch sulla base degli appunti alle lezioni tenute dall’autore ed agli scritti lasciati dal medesimo; trad. italiana di Renato Perrela. Milano: Per i tipi dell’editore Dott. Antonino Giuffrè, 1968.

CARUCCI, Paola. Le fonti archivistiche: ordinamento e conservazione. Roma: N.I.S, 1989.

CASANOVA, E. Archivística. Siena: Stab. ArtiGraficheLazzeri, 1928.

COOK, Michel. The Management of information from Archives. England: Glover, 1986.

CORTÉS ALONSO, Vicenta. Documentacion y documentos. Madrid: Ministerio de Cultura/Dirección General de Bellas Artes, Archivos y Bibliotecas, 1980.

CRUZ MUNDET, José Ramón. Manual de archivística. Madrid: Biblioteca Del Libro, 2001.

DIRECTION DES ARCHIVES DE FRANCE. La pratique archivistique française. Paris: Archives Nationales, 1993.

DISPUTACION PROVINCIAL DE SEVILLA. Archivística: estúdios básicos. Sevilla: Disputacion Provincial de Sevilla, 1981.

DURANTI, Luciana. Diplomática: usos nuevos para una antigua ciencia. Carmona (Sevilla): S & C ediciones, 1996.

EASTWOOD, Terry (Org.). The archival fonds: from theory to practice. Canada: Bureau of Canadian Archivists, 1986.

FAVIER, J. Les archives. 7. ed. Paris: Presses Universitaires de France, 1958.

FONSECA, Maria Odila. Arquivologia e ciência da informação. Rio de Janeiro: FGV, 2005.

GALLEGO DOMÍNGUEZ, Olga; LÓPEZ GÓMEZ, Pedro (1989). Artxibistikan sarrera. Introducción a la archivística. Vitoria-Gasteiz: Servicio Central de Publicaciones. Gobierno Vasco.

HEREDIA HERRERA, Antonia. Archivistica general: teoria y práctica. Sevilla: Servicio de Publicaciones de la Diputación Provincial de Sevilla, 1991.

JARDIM, José Maria. Sistemas e políticas públicas de arquivos no Brasil. Niterói: Eduff, 1995.

JARDIM, José Maria. Transparência e opacidade do Estado no Brasil: usos e desusos da informação governamental. Rio de Janeiro: EdUFF, 1999.

JENKINSON, Hilary. A Manual of archive administration. 2. ed. London: Percy Lund, Humphries and Co., 1965.

LODOLINI, Elio. Archivistica: Principi e problemi. Milano: Franco Angeli,1984.

LOPES, Luís Carlos. A informação e os arquivos: teorias e práticas. Niterói: EDUFF; São Carlos: EDUFScar, 1996.

LOPES, Luís Carlos. A gestão da informação: as organizações, os arquivos e a informática aplicada. Rio de Janeiro: Arquivo Público do Estado do Rio de Janeiro, 1997.

MARQUES, Angelica Alves da Cunha. Interlocuções entre a arquivologia nacional e internacional no delineamento da disciplina no Brasil. 2011. 399 f. Tese (doutorado em ciência da informação) – Universidade de Brasília, Brasília, 2011.

MARQUES, Angelica Alves da Cunha. et al. Relações teórico-epistemológicas entre a arquivística e ciência da informação na perspectiva social. I Fórum Internacional de Arquivologia. UEPB, 2008.

MARTÍN-POZUELO CAMPILLOS, M. Paz. La construcción teórica en archivística: el principio de procedencia. Madrid: Universidad Carlos III, 1996.

MORA, J. Ferrater. Dicionário de filosofia. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 1994.

MULLER, S.; FEITH, J. A.; FRUIN, R. Manual de arranjo e descrição. 1. ed. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 1973.

NATIONAL ARCHIVES AND RECORDS SERVICE. A modern archives reader: basic readings on archival theory and practice. Washington: General Services Administration, 1984.

PAES, Marilena Leite. Arquivo: teoria e prática. 2. ed. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 2004. 3. versão revista e ampliada.

PEDERSON, Ann. Keeping archives. Sydney: Australian Society of Archivists, 1987.

PICINATTO, Antônio Carlos. Território na abordagem geográfica de Bertha Becker. In: SAQUET, Marcos Aurélio; SOUZA, Edson Belo Clemente (Orgs.). Leituras do conceito de território e de processos espaciais. São Paulo: Expressão Popular, 2009.

ROUSSEAU, Jean-Yves; COUTURE, Carol. Os fundamentos da disciplina arquivística. Tradução Magda Figueiredo. Lisboa: Dom Quixote, 1998.

RUÍZ RODRÍGUEZ, Antonio Angel. Manual de archivística. Madrid: Sínteses, 1995.

SANTOS, Vanderlei Batista dos. A arquivística como disciplina científica: princípios, objetivos e objetos. Brasília: 9 Bravos, 2015.

SAQUET, Marcos Aurélio. Abordagens e concepções de território. São Paulo: Outras Expressões, 2013.

SCHELLENBERG, T. R. Arquivos modernos: princípios e técnicas. Rio de Janeiro: FGV, 2006.

SCHELLENBERG, T. R. Documentos públicos e privados: arranjo e descrição. Rio de Janeiro: FGV, 1980.

SILVA, Armando Malheiro da. et al. Arquivística: teoria e prática de uma ciência da informação. Porto: Afrontamento, 1999.

SOCIETY OF AMERICAN ARCHIVISTS/ASSOCIATION OF CANADIAN ARCHIVISTS. Canadian archival studies and rediscovery of provenance. London: 1993.

TAMBLÉ, Donato. La teoria archivistica italiana contemporanea: profile storico critico (1950-1990). Roma: NIS, 1993.

TANODI, Aurelio. Manual de archivología hispanoamericana: teorías y principios. Córdoba (Argentina): Universidad Nacional, 1961.

VÁZQUEZ, Manuel. Manual de selección documental. Córdoba: 1995.


Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2016 ÁGORA ISSN 0103-3557

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

ÁGORA: Arquivologia em debate
Universidade Federal de Santa Catarina, ISSN 0103-3557, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.

Licença Creative Commons Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional. Apoio técnico de Lepidus Tecnologia