História e arquivo: possibilidades e estudo do arquivo do judiciário de Montes Claros/Minas Gerais entre 2000 a 2013

Filomena Luciene Cordeiro Reis, Isadora Ferreira Catarino, Isael Silva Mota, João Olímpio Soares Reis

Resumo


O objetivo deste estudo consistiu em apresentar alguns apontamentos teóricos e metodológicos sobre a pesquisa documental, usando o acervo do arquivo do judiciário. O recorte espacial e temporal constituiu em refletir, especificamente, o Arquivo do Fórum Gonçalves Chaves de Montes Claros, Minas Gerais, entre 2000 a 2013. Nossas fontes foram processos criminais, bem como um lugar de memória que armazena essa documentação, a Divisão de Pesquisa e Documentação Regional da Universidade Estadual de Montes Claros. A metodologia utilizada para a pesquisa foi o Método Indiciário, bem como a revisão bibliográfica acerca do assunto.

Palavras-chave


Arquivo judiciário; Documento jurídico; Processo Crime

Texto completo:

PDF/A

Referências


ATX, Günter. Algumas reflexões sobre os critérios para a identificação dos processos judiciais. Justiça & História, Porto Alegre, v. 4, n. 7, 2004.

BENDER, Lucas Petry. Silêncios, gritos e murmúrios: os processos-crime como fonte histórica. Justiça & História, Porto Alegre, v. 7, n. 13, p. 261-282.

BIAVASCHI, Magda Barros. Os processos judiciais e a construção do direito do trabalho: amar o perdido. Revista LTr: Legislação do Trabalho, São Paulo, v. 70, n. 8, p. 49-954, ago. 2006.

CATARINO, Isadora Ferreira; REIS, Filomena Luciene Cordeiro. O Método Indiciário e o Crime da Fazenda Canoas em Montes Claros, Minas Gerais. Montes Claros, mar. 2015. In: Encontro de História e Literatura – Cidades e Escritores Regionais, 1. Anais... Montes Claros, Minas Gerais: Unimontes, mar. 2015.

CHALHOUB, Sidney. O conhecimento da História, o Direito à Memória e os Arquivos Judiciais. In: Curso de Formações de Multiplicadores em “Políticas de resgate, preservação, conservação e restauração do patrimônio histórico da Justiça do Trabalho no Rio Grande do Sul”. Porto Alegre, 2005.

CORDEIRO, Filomena Luciene. A cidade sem passado: políticas públicas e bens culturais de Montes Claros: um estudo de caso. Montes Claros: Unimontes, 2006.

GINZBURG, Carlo. História noturna. São Paulo: Cia das Letras, 1991.

GINZBURG, Carlo. Mitos, emblemas e sinais. São Paulo: Cia das Letras, 1990.

GRINBERG, Keila. A história nos porões dos arquivos judiciários. In: PINSKY, Carla Bassanezi; LUCA, Tania Regina de (orgs.). O historiador e suas fontes. São Paulo: Contexto, 2009.

MAURÍCIO, Milene Antonieta Coutinho. Emboscada de bugres: Tiburtina e a revolução de 30. Belo Horizonte: Secretaria de Estado da Cultura/Imprensa Oficial, 1986.

NASCIMENTO, Maria de Fátima Gomes Lima do. Tiburtina de Andrade Alves: entre as relações de poder e as representações sociais de uma mulher (Montes Claros na primeira metade do século XX). 2013. Dissertação (mestrado em História). Universidade Severino Sombra, Vassouras, RJ, 2004.

NUNES, Maria Thetis. A importância dos arquivos judiciais para a preservação da memória nacional. Revista de CIJ, Brasília, v. 2, n. 5, maio/ago. 1998.

SANT’ANNA, Márcia. Da cidade-monumento à cidade-documento: a trajetória da norma de preservação de áreas urbanas no Brasil (1937-1990), 1995. Salvador (mestrado em Arquitetura e Urbanismo), Faculdades de Arquitetura, Universidade Federal da Bahia, 1995.

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS. Divisão de Pesquisa e Documentação Regional. Processo 7.407. Montes Claros, jun. de 1915.


Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2016 ÁGORA ISSN 0103-3557

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

ÁGORA: Arquivologia em debate
Universidade Federal de Santa Catarina, ISSN 0103-3557, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.

Licença Creative Commons Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional. Apoio técnico de Lepidus Tecnologia