Implantação do sistema kanban como instrumento de controle dos documentos

Marcelo Cavaglieri, Jordan Paulesky Juliani

Resumo


Uma gestão documental eficiente traz diversos benefícios, não apenas ao profissional, mas, principalmente, aos gestores das empresas que podem usufruir de tais informações nas tomadas de decisão para desfrutar de vantagens competitivas acerca dos concorrentes. Tendo em vista que a eficácia é uma busca constante de qualquer empresa a fim de atingir os objetivos estratégicos e melhorar as técnicas que possibilitem mais produtividade com o uso de menos recursos financeiros. Nesse sentido, buscou-se aplicar o sistema Kanban na gestão de arquivos do Grupo Santa Fé, uma vez que é preciso melhorar os processos atuais, com menos desperdícios e mais eficiência, tendo em vista a necessidade de atender o cliente com mais eficácia diante de suas necessidades informacionais. Quanto ao método utilizado, caracteriza-se por ser uma pesquisa-ação, de abordagem quali-quantitativa, classificada como exploratória e descritiva. Entre os resultados obtidos da pesquisa realizada, destaca-se, de forma quantitativa, a redução de desperdícios financeiros, tempo no processamento das atividades e também aumento de retorno dos documentos emprestados. De forma qualitativa, destaca-se um melhor ambiente de trabalho com práticas da gestão visual para comunicação das informações e aumento da eficiência do serviço prestado, gerando mais satisfação do cliente.

Palavras-chave


Lean Archives; Kanban; Arquivo Empresarial; Gestão Documental; Gestão da Informação

Texto completo:

PDF/A

Referências


ALBINO, Maria de Fátima Vollet. A utilização do Lean Office (escritório enxuto) em ambiente público-administrativo. 2011, 104 f. Dissertação (mestrado em engenharia mecânica) – Universidade de Taubaté, Taubaté, 2011.

BRASIL. Lei n. 8.159, de 8 de janeiro de 1991. Dispõe sobre a política nacional de arquivos públicos e privados e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 9 jan. 1991. Disponível em: . Acesso em: 8 fev. 2015.

CAVALCANTE, Luciane de Fátima Beckman; VALENTIM, Marta Lígia Pomim. Informação e conhecimento no contexto de ambientes organizacionais. In: VALENTIM, Marta Lígia Pomim (Org.). Gestão, mediação e uso da informação. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2010.

CHOO, C. W. A organização do conhecimento: como as organizações usam a informação para criar significado, construir conhecimento e tomar decisões. São Paulo: Senac, 2003.

COLLIS, Jill; HUSSEY, Roger. Pesquisa em administração: um guia prático para alunos de graduação e pós-graduação. 2. ed. Porto Alegre: Bookman, 2005.

FUSTER RUIZ, Francisco. Archivística, archivo, documento de archivo: necesidad de clarificar los conceptos. In: Anales de documentacíon, 2.,1999, Espanha. Anais... Murcia: Universidad de Murcia, 1999.

GREEF, Ana Carolina; FREITAS, Maria do Carmo Duarte; ROMANEL, Fabiano Barreto. Lean Office: operação, gerenciamento e tecnologias. São Paulo: Atlas, 2012.

HINO, Satoshi. O pensamento Toyota: princípios de gestão para um crescimento duradouro. Porto Alegre: Bookman, 2009.

HOLWEG, Matthias. The genealogy of Lean production. Journal of Operations Management, v. 25, p. 420-437, 2007.

INTERNACIONAL COUNCIL ON ARCHIVES. Dictionary of archival terminology: english and french with equivalents in dutch, german, italian, russian and spanish. München, New York, London, Paris: K. G. Saur, 1984.

LEAN ENTERPRISE INSTITUTE. Léxico Lean: glossário ilustrado para participantes do Pensamento Lean. 4. ed. São Paulo: Lean Institute Brasil, 2011.

LEITE, M. O. et al. Aplicação do sistema Kanban no transporte de materiais na construção civil. In: XXIV ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO – Florianópolis, SC, Brasil, 2004. Anais... Florianópolis: ABEPRO, 2004.

MARCHIORI, Patricia Zeni. A ciência e a gestão da informação: compatibilidades no espaço profissional. Ciência da Informação, Brasília, v. 31, n. 2, p. 72-79, 2002.

MICHEL, Maria Helena. Metodologia e pesquisa científica em ciências sociais: um guia prático para acompanhamento da disciplina e elaboração de trabalhos monográficos. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2009.

OHNO, Taiic. O Sistema Toyota de Produção: além da Produção em Larga Escala. Porto Alegre: Bookman, 2006.

ROESCH, Sylvia Maria Azevedo. Projetos de estágio e de pesquisa em administração. São Paulo: Atlas, 2000.

SANDRINI, Luiz Guilherme. O Trade-Off entre os Buffers de capacidade de produção e de estoque. 2009, 145f. Dissertação (mestrado em engenharia de produção) – Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2009.

SHIMOKAWA, Koichi; FUJIMOTO, Takahiro. O nascimento do Lean: Conversas com Taiichi Ohno, Eiji Toyoda e outras pessoas que deram forma ao Modelo Toyota de Gestão. Porto Alegre: Bookman, 2011.

SHINGO, Shigeo. O Sistema Toyota de Produção: do ponto de vista da engenharia de produção. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2007.

SILVA, Edna Lúcia; MENEZES, Estera Muszkat. Metodologia da pesquisa e elaboração de dissertação. 4. ed. Florianópolis: UFSC, 2005.

VALENTIM, Marta Lígia Pomim. Arquivos empresariais: origens e tipologias documentais. Marília: UNESP, 2008.

VALENTIM, Marta Lígia Pomim (Org.). Gestão Documental em Ambientes Empresariais. In: ____. Estudos avançados em Arquivologia. Marília: Oficina Universitária; São Paulo: Cultura Acadêmica, 2012.

WOMACK, J. P.; JONES, D. T.; ROOS, D. A Máquina que Mudou o Mundo. 10. ed. Rio de Janeiro: Editora Campus/ Elsevier, 2004.

WOMACK, James P.; JONES, Daniel T. A Mentalidade enxuta nas empresas: Elimine o desperdício e crie riqueza. 9. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2003.


Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2016 ÁGORA ISSN 0103-3557

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

ÁGORA: Arquivologia em debate
Universidade Federal de Santa Catarina, ISSN 0103-3557, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.

Licença Creative Commons Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional. Apoio técnico de Lepidus Tecnologia