O homem e a sua evidência: informação, territórios, direitos

Alzira Queiroz Gondim Tude de Sá

Resumo


Este ensaio se propõe a discutir questões que permeiam a expansão e a liberdade favorecidas ao homem contemporâneo pelas inovações tecnológicas e sociais, associadas às novas dinâmicas das redes digitais. Analisa o processo de construção do conhecimento, sua produção, distribuição e organização assim como do campo da Ciência da Informação que têm estado à mercê dos contextos, da diversidade do pensar de seus protagonistas, da delimitação de fronteiras, da “doutrinação,” de teorias, das mudanças sociais e tecnológicas que veem favorecendo e configurando dos “regimes de informação. Atenta para os aspectos públicos e sociais da informação sob a ótica de Frohmam e para a responsabilidade de instâncias que devem preservar e garantir o seu acesso e disseminação. Sugere que as condições básicas para essa construção devem resultar da escuta, da preservação, da reprodução dos “regimes de informação,” instituídos socialmente e que as políticas resultem da observância das especificidades, das particularidades dos territórios, dos canais, redes, dos caminhos escolhidos por cada grupo, pela comunidade, em busca da informação. 


Palavras-chave


Inovações tecnológicas; Regimes de informação; Informação - aspectos públicos e sociais

Texto completo:

PDF/A

Referências


ABREU, Marilene; VARELA, Aida. Aplicações de teorias cognitivas no tratamento de informação. Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação, São Paulo, v. 3, n.2, p.116-128, jul-dez. 2007. p 117.

ALBAGLI, Sarita. A questão do outro: do território ao digital. In:

GONZÁLES DE GÓMEZ, Maria Nélida; LIMA, Clóvis Ricardo Montenegro. (Orgs.) Informação e democracia: a reflexão contemporânea da ética e da política. Brasília: IBICT, 2011.

BAUMAN, Z. Identidade. Rio de Janeiro: Zahar, 2005.

BARRETO, Aldo Barreto. A estrutura do texto e a transferência da informação. DataGramaZero - Revista de Ciência da Informação, v.6 , n.3, p.1. jun., 2005.

BOURDIEU, P. Coisas ditas. São Paulo: Editora Brasiliense, 1990. P.50CAPURRO, Rafael; HJORLAND, Birger. O conceito de Informação. Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v.12, n. 1, p.148-207, jan./abril, 2007.

CARVALHO, Adriane Maria Arantes de. Novos enfoques no campo da Ciência da Informação: uma discussão sobre a aplicabilidade do conceito de regime de informação em arranjos produtivos locais. Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v.14, n. esp., 2009.

CASTELLS, Manuel. A era da informação: economia, sociedade e cultura. In: A sociedade em rede. São Paulo, Paz e Terra, 2000.

CASTELLS Manuel. Cibercultura. São Paulo: Editora 34,1999.

CHARLOT, Bernard. O “filho do homem”:obrigado a aprender para ser (uma perspectiva antropológica).In: Da relação com o saber: elementos para uma teoria.Tradução de Bruno Magne. Porto Alegre: Artmed; Belo Horizonte: Editora da UFMG, 2000. p. 51-57.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 32. ed. Rio de Janeiro: Paz & Terra, 2002.

FROHMANN, Bernard. O caráter social, material e público da informação. In: FUJITA, Spoti Lopes; MARTELETO, Regina Maria; GOMEZ DE LARA, Marilda. (Orgs.) A dimensão epistemológica da Ciência da Informação. Marília-SP: Cultura Acadêmica, 2008.

GONZÁLEZ DE GÓMEZ, Maria Nélida. As relações entre ciência, Estado e sociedade: um domínio de visibilidade para as questões da informação. Ciência da Informação, Brasília, v.32, n.1, p.60-76, Jan./Abr.2003.

GONZÁLEZ DE GÓMEZ, Maria Nélida. A informação: dos estoques às redes. Ciência da Informação. Brasília, DF, v.24, n.1, 1995.

GONZÁLEZ DE GÓMEZ, Maria Nélida. Novas fronteiras tecnológicas das ações deinformação: questões e abordagens. Ciência da Informação, Brasília, v. 33, n. 1, p.55-67, jan./abr.2004.

GONZÁLEZ de GÓMEZ, Maria Nélida; LIMA, Clóvis Ricardo Montenegro de (Orgs.) Informação e Democracia: a reflexão da ética e da política. Brasília: IBICT, 2011.

LÉVI, Pierre. Cibercultura. São Paulo: Editora 34, 1999.

MARTELETO, Regina. Conhecimento e sociedade: pressupostos da antropologia da informação. In: AQUINO, Mirian Albuquerque (Org.) O campo da Ciência da Informação: gênese, conexões e especificações. João Pessoa: UFPB, 2002.

MARTELLETO, Regina. Redes sociais: formas de participação e informação. In: GONZÁLES DE GÓMEZ, Maria Nélida; LIMA, Clóvis Ricardo Montenegro. (Orgs.) Informação e democracia: a reflexão contemporânea da ética e da política. Brasília: IBICT, 2011.p.173-183.

PINHEIRO, Marta Macedo Kerr. Processo de transformação das políticas de informação no estado informacional. Tendências da Pesquisa Brasileira em Ciência da Informação, Brasília, v.3, n.1, p.113-126, jan./dez. 2010.

SERACEVIC, Tefko. Ciência da Informação: origem, evolução e relações. Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v. 1, n. 1, p. 41-62, jan./jun. 1996.

SUAIDEN, Emir. Prefácio. In: GONZÁLES DE GÓMEZ, Maria Nélida; LIMA, Clóvis Ricardo Montenegro. (Orgs.) Informação e democracia: a reflexão contemporânea da ética e da política. Brasília: IBICT, 20011.

UNGER, Roberto José Gervásio. Regimes de informação na sociedade da informação: uma contribuição para a gestão da informação. Rio de Janeiro: Universidade Federal Fluminense/ Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação, 2006. Dissertação.

YUNES, Eliane. Leitura, a complexidade do simples: do mundo à letra e de volta ao mundo. In: YUNES, Eliana. (Org.) Pensar a leitura: complexidade. Rio de Janeiro: Editora PUC Rio; Edições Loyola, 2002.


Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 ÁGORA ISSN 0103-3557

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

ÁGORA: Arquivologia em debate
Universidade Federal de Santa Catarina, ISSN 0103-3557, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.

Licença Creative Commons Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional. Apoio técnico de Lepidus Tecnologia