Perspectivas discursivas na formação do conceito de descrição da informação em arquivística

Wanessa Rodrigues Martins, Thiago Henrique Bragato Barros, João Batista Hernesto de Moraes

Resumo


Apresenta-se os conceitos de Análise do Discurso baseado na escola francesa que tem como precursor Michel Pechêux, dessa maneira o referencial teórico está delimitado à tradição francesa em Análise do Discurso, baseia-se nos autores Michel Pêcheux e Eni Pulcinele Orlandi, precursora dessa linha de Análise do Discurso no Brasil. A metodologia de pesquisa utilizada foi a análise bibliográfica e documental concernente à literatura da Arquivística e da Análise do Discurso. Apresenta conceitos de “descrição arquivística” por meio de recortes textuais retirados de instrumentos de descrição e normalização arquivística, como o Manual de Arranjo e Descrição de Arquivos, escrita por S. Muller, J. A. Feith e R. Fruin e publicada em 1898, traduzida para o português brasileiro e publicada em 1973, e a Norma Internacional de Descrição Arquivística - ISAD (G) publicada em 2000 pelo Conselho Nacional de Arquivos, bem como de produções intelectuais dentre essas a obra de Georgete Medleg Rodrigues (2003) e a dissertação de Flávia Carneiro Leão (2006). Buscou inferir o sentido e a recorrência do conceito de “descrição arquivística” apresentados nos trabalhos anteriormente mencionados. O referido artigo é parte da produção da dissertação que se encontra em andamento. A partir da análise dissertativa aplicada aos recortes textuais foi possível identificar que o fator contextual é fundamental para a produção de sentido no conceito de descrição, esta afirmação se confirma pela recorrência com que o termo é apresentado. Sendo possível concluir que a atividade de descrição arquivística é uma atividade intelectual de pesquisa documental. O presente trabalho é importante no sentido de abrir caminhos para uma compreensão mais ampla em relação a formação e percurso de seus conceitos constituintes. 

Palavras-chave


Análise do Discurso; Descrição Arquivística; Conceito de Descrição; Análise Conceitual.

Texto completo:

PDF/A

Referências


BARROS, T. H. B. Discurso, Documento e Arquivística: trajetória de uma área. Pesq. Bras. em Ci. da Inf. e Bib., João Pessoa, v.12, n. 2, p. 097-110, 2017.

BARROS, T. H. B. Uma trajetória da Arquivística a partir da Análise do Discurso: inflexões histórico-conceituais [online]. São Paulo: Editora UNESP; São Paulo: Cultura Acadêmica, 2015.

CONSELHO INTERNACIONAL DE ARQUIVOS. ISAD(G): Norma geral internacional de descrição arquivística: segunda edição, adotada pelo Comitê de Normas de Descrição, Estocolmo, Suécia, 19-22 de setembro de 1999, versão final aprovada pelo CIA. – Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2000. 119 p.

FREITAS, Lídia Silva de. Na teia dos sentidos: o discurso da Ciência da Informação sobre a atual condição da informação. ENANCIB. 5., 2015, Anais..., Belo Horizonte, 2015. Disponível em: http://enancib.ibict.br/index.php/enancib/venancib/paper/viewFile/2123/1258

LEÃO, Flávia Carneiro. A representação da informação arquivística permanente: a normalização descritiva e a ISAD (G). 2006. 87 f. Dissertação (Mestrado) – Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo, SP, 2006.

MORAES, J. B. E; LIMA, L. M; CAPRIOLI, M. S. Análise do discurso e Ciência da Informação: aportes teóricos para organização e representação da informação. Scire, [sl.], v.22, n.2, p.75-85, jul.-dic. 2016.

MULLER, S.; FEITH, J. A.; FRUIN, R. Manual de arranjo e descrição de arquivos. Trad. Brasileira de Manoel Adolpho Vanderley, Rio de Janeiro: Ministério da Justiça, Arquivo Nacional, 1973.

ORLANDI, Eni Puccinelli. Análise de discurso: princípios e procedimentos. Campinas, SP: Pontes Editores, 2010.

PÊCHEUX, Michel. O discurso: estrutura ou acontecimento. Tradução: Eni P. Orlandi. Campinas, SP. Pontes Editores, 2012.

ROCHA, Décio; DEUSDARÁ, Bruno. Análise de conteúdo e análise do discurso: aproximações e afastamentos na (re)construção de uma trajetória. Alea, [sl.], v.7, n. 2, p. 305-322, jul./dez., 2005.

RODRIGUES, G. M. A representação da informação em arquivística: uma abordagem a partir da perspectiva da norma internacional de descrição arquivística. In: Georgete Medleg Rodrigues; Ilza Leite Lopes (Org.). Organização e representação do conhecimento na perspectiva da ciência da informação. Brasília: Thesaurus, 2003, v. 2, p. 210-230.

RODRIGUES, W.M.; BARROS, T.H.B Representação e descrição arquivística: um estudo do ementário dos cursos de Arquivologia do Brasil. Revista Analisando em Ciência da Informação, João Pessoa, n.4, esp. p. 510-525, 2016.

SILVA, A. R. da; Baptista, D. M. Abordagens de Análise de Discurso na Ciência da Informação: panorama dos estudos brasileiros. Inf. & Soc. Est., João Pessoa, v.25, n.2, p. 89-103, maio/ago. 2015.

VÁLIO, E. B. M.; OLIVEIRA, V. de F. F. de: Terminologia da ciência da informação: abordagem da análise do discurso. Perspect. Ciênc. Inf., Belo Horizonte, v. 8, n. 2, p. 114-133, jul./dez. 2003.


Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2019 ÁGORA: Arquivologia em debate

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

ÁGORA: Arquivologia em debate
Universidade Federal de Santa Catarina, ISSN 0103-3557, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.

Licença Creative Commons Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional. Apoio técnico de Lepidus Tecnologia