A institucionalização dos mestrados profissionais: dissertações da Universidade Federal de Pernambuco

Maria Elisângela Fagundes da Silva Viana, Nadi Helena Presser, Raimundo Nonato Macedos dos Santos

Resumo


Caracteriza as dissertações desenvolvidas pelos servidores Técnicos Administrativos em Educação (TAEs) da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) concluintes em um dos cursos de Mestrado Profissional em Gestão Pública para o Desenvolvimento do Nordeste (MGP), Ergonomia, Políticas Públicas (MPPP) e Administração (MPA), no período de 2012 a 2016, em relação às temáticas estudadas e ao locusde análise visando estimular o debate relativo à institucionalização dos mestrados profissionais. Para caracterizar as dissertações, os dados foram recuperados do Sistema Integrado de Bibliotecas (SIB), disponibilizados em planilhas de Excel e exportados para o softwareVantagePoint para proceder à sua análise. Os resultados apontam que, das 92 dissertações analisadas, 79 investigaram temas cujo locus de análise era a própria universidade. As categorias temáticas resultantes das análises das palavras-chave que se destacaram são: Gestão de Pessoas; Ensino, Pesquisa e Extensão; Gestão; Inclusão Social; Políticas Públicas; Teoria e Métodos; Segurança e Saúde do Trabalhador; Ação Administrativa, Contabilidade e Finanças; Universidade; e, na sequência, TICs; Ergonomia, entre outras discutidas ao longo deste artigo. A caracterização das dissertações reforça a afirmativa de que o mestrado profissional se institucionaliza de maneira conectada com seu meio social e profissional. 


Palavras-chave


Dissertação de Mestrado; Institucionalização dos Mestrados Profissionais; Servidores públicos; Universidade Federal de Pernambuco

Texto completo:

PDF/A

Referências


BIOJONE, M.R. Os periódicos científicos na comunicação da ciência. São Paulo: Educação FA-PESP, 2003.

BISPO, A. C. K. A Trajetória dos Mestrados Profissionais em Administração no Brasil: Uma abor-dagem dinâmica e multidimensional. In: ENCONTRO DA ANPAD, 38, Anais... Rio de Janeiro, ANPAD, 2014. P. 1-16. Disponível em: < http://www.anpad.org.br/admin/pdf/2014_EnANPAD_EPQ1918.pdf >. Acesso em: 05 maio 2018.

BONAVIDES, P. Teoria do Estado. 5. ed. São Paulo: Malheiros, 2004.

BORBA, D.do S.; LAAN, R.H. VAN der; CHINI, B. R. Perspectivas em Ciência da Informação, v.17, n.2, p.26-36, abr./jun. 2012.

BOURDIEU, P. Para uma sociologia da ciência. Tradução Pedro Elói Duarte. Revisão: Maria de Lurdes Afonso. Lisboa: Edições 70, 2001.

BOURDIEU, P. Os usos sociais da ciência: por uma sociologia do campo científico. Tradução De-nice Bárbara Catani. São Paulo: Editora UESP, 2004.

CAPES. Portaria nº 080, de 16 de dezembro de 1998. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 11 jan. 1999, Seção 1, p. 14.

CAPES. Portaria Normativa nº 17, de 28 de dezembro de 2009. Diário Oficial [da] República Fe-derativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 29 dez. 2009, Seção 1, p. 20.

CEPEDA-CARRION, I.; MARTELO-LANDROGUEZA, S.; LEAL-RODRÍGUEZ, A. L.; LEAL- MILLÁN, A. Critical processes of knowledge management: An approach towardthe creation of customer value. European Research on Management and Business Economics, v.23, p.1–7, 2017.

CHADWICK, C; DABU, A. Human Resources, Human Resource Management, and the Competi-tive Advantage of Firms: Toward a More Comprehensive Model of Causal Linkages. Organization Science, v.20, n. 1 p. 253–272, 2009.

FISCHER, T. Mestrado profissional como prática acadêmica. Revista Brasileira de Pós-Graduação RBPG, Brasília, v. 2, n. 4, p. 24-29, jul., 2005. Disponível em: < http://ojs.rbpg.capes.gov.br/index.php/rbpg/article/view/74/71 >. Acesso em: 04 abr. 2018.

FUJITA, M. S. L. A Representação documentária de artigos científicos em educação especial: orientação aos autores para determinação de palavras chaves. Revista Brasileira de Educação Especial, Marília, v. 10, n. 1, p. 257-272, set./dez. 2004.

POLANYI, M. The logic of liberty. Londres: Routledge and Kegan Paul, 1951.

RIBEIRO, C.R. A universidade como disputa da reprodução social: contribuição ao debate sobre os mestrados profissionais. Revista Brasileira de Pós-Graduação RBPG, Brasília, v. 7, n. 14, p. 433 - 450, dezembro de 2010. Disponível em: < http://ojs.rbpg.capes.gov.br/index.php/rbpg/article/view/12/9 >. Acesso em: 19 jan.2018.

SANTOS, B. de S. (Org.). Conhecimento prudente para uma vida decente. São Paulo: Cortez, 2004. p. 721-756.

SILVEIRA, M. A. A. da. Redes de texto científicos: um estudo sob a ótica da institucionalização da Ciência da Informação no Brasil. Campinas, SP, 2008. 133 f. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação), Pontifícia Universidade Católica de Campinas. Campinas, 2008.

SOUZA, C. Políticas Públicas: uma revisão da literatura. Sociologias, Porto Alegre, v. 8, n. 16, p. 20-45, jul/dez 2006.

WHITLEY, R. Cognitive and social institutionalization of scientific specialties and research areas. In: WHITLEY, R. (Ed.). Social processes of scientific development. London: Routledge and Ke-gan, 1974.

VOLPATO, G. Ciência: da filosofia à publicação. 6. ed. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2013.


Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2018 ÁGORA: Revista do Curso de Arquivologia da UFSC

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

ÁGORA: Arquivologia em debate
Universidade Federal de Santa Catarina, ISSN 0103-3557, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.

Licença Creative Commons Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional. Apoio técnico de Lepidus Tecnologia