Funções arquivísticas: caracterizando finalidades de instituições de arquivo

Diogo Baptista Pereira, Eliezer Pires da Silva

Resumo


As funções arquivísticas são entendidas como o que se espera no desempenho do profissional de Arquivologia. A trajetória da arquivística corroborou para que os canadenses, mais precisamente representados por Carol Couture e Yves Rosseau, admitissem sete funções existentes dentro da área. Eles as entendiam como tarefas que o profissional de arquivo deve desempenhar. E como uma função pode ser primordial para a concepção da outra, interligando-se. Tendo em vista que o saber (científico) e o fazer (prática) são, de certa forma, intrínsecos na área, subentende-se que as funções arquivísticas devem ser parte das instituições arquivísticas. Essas funções são: a produção/criação; avaliação, classificação, descrição, difusão, preservação e aquisição, que devem ser as atividades a serem realizadas por uma instituição arquivística. Ou seja, se todas elas forem corretamente executadas, o nível de organização e de gestão tende a estar numa qualidade formidável. Este artigo tem por objetivo apresentar as funções e sua importância para ajudar a delimitar o que deve ser o papel do arquivista e das instituições, dessa forma uma tentativa para abrir o debate sobre qual ministério/secretaria a instituição deve estar atrelada.


Palavras-chave


Funções Arquivísticas; Instituições Arquivísticas; Arquivologia.

Texto completo:

PDF/A

Referências


ANDRADE, Ricardo Sodré; SILVA, Rubens Ribeiro Gonçalves da. Aspectos teóricos e históricos da descrição arquivística e uma nova geração de instrumentos arquivísticos de referência. Ponto de Acesso, Salvador, v. 2, n. 3, p.14-29, 2008.

ANTUNES, Márcia Teresinha Feron. A microfilmagem na perspectiva da preservação documental: um estudo realizado nas universidades públicas brasileiras que congregam curso de arquivologia. Universidade Federal de Santa Maria (Espacialização em Gestão em Arquivos) Rio Grande do Sul, 2009, 70p.

ARAÚJO, Carlos Alberto Ávila. Fundamentos teóricos da classificação. Encontros Bibli: Revista Eletrônica de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Florianópolis, v. 11, n. 22, p.117-140, dez. 2006.

ARQUIVO NACIONAL (Brasil). Dicionário Brasileiro de Terminologia Arquivística. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2013.

BELLOTTO, Heloísa Liberalli. Arquivos permanentes: tratamento documental. 4. ed. Rio de Janeiro: FGV, 2006.

BRASIL. Lei n. 12.527, de 18 de novembro de 2011. Regula o acesso a informações previsto no inciso XXXIII do art. 5o, no inciso II do § 3o do art. 37 e no § 2o do art. 216 da Constituição Federal; altera a Lei n. 8.112, de 11 de dezembro de 1990; revoga a Lei no 11.111, de 5 de maio de 2005, e dispositivos da Lei no 8.159, de 8 de janeiro de 1991; e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 2011.

BRASIL. Lei n. 8.159 de 8 de janeiro de 1991. Dispõe sobre a política nacional de arquivos públicos e privados e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 09, jan. 1991.

CAMARGO, Ana Maria de Almeida; BELLOTTO, Heloísa Liberalli. Dicionário de terminologia arquivística. São Paulo: Associação dos Arquivistas Brasileiros/Núcleo Regional de São Paulo; Secretaria de Estado da Cultura, 1996.

CASSARES, Norma Cianflone; MOI, Claudia. Como fazer conservação preventiva em arquivos e bibliotecas. São Paulo: Arquivo do Estado; Imprensa Oficial, 2000.

CHARBONNEAU, Normand. La diffusion. In: COUTURE, Carol et al. Les fonctions de l’archivistique contemporaine. Québec: Presses de L’universitè Du Quebec, 1999. p. 373-427.

CHAUMIER, Jacques. Indexação: conceito, etapas e instrumentos. Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação, São Paulo, v. 21, n. 1, p.63-79, 1988.

CLOONAN, Michèle V. Preservando documentos de valor permanente. In: EASTWOOD, Terry; MACNEIL, Heather (org.). Correntes atuais do pensamento arquivístico. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2016. p. 107-134.

CONSELHO INTERNACIONAL DE ARQUIVOS. Princípios de acesso aos arquivos. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2012. Disponível em:

http://www.arquivoestado.sp.gov.br/site/acesso/central_atendimento/download/CIA_principios_do_acesso. Acesso em: 21 set. 2017.

CONSELHO NACIONAL DE ARQUIVOS (Brasil). NOBRADE: Norma Brasileira de Descrição Arquivística. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2013.

CONWAY, Paul. Archival Preservation Practice in a Nationwide Context. The American Archivist, [S.l.], v. 53, n. 2, p.204-222, abr. 1990.

COUTURE, Carol. Les fonctions de l'archivistique contemporaine. Québec: Presses de l’Université du Québec, 1999.

COUTURE, Carol. L’évaluation des archives: État de la question. Archives, [S.l.], v. 28, n. 1, p.3-31, 1996-1997. Disponível em: https://www.archivistes.qc.ca/revuearchives/vol28_1/28-1-couture.pdf. Acesso em: 4 abr. 2018.

COUTURE, Carol. L’evaluation. In: COUTURE, Carol et al. Les fonctions de l’archivistique contemporaine. Québec: Presses de L’universitè Du Quebec, 1999. p. 103-143.

FONSECA, Vitor. Entrevista. Acervo, Rio de Janeiro, v. 20, n. 1/2, p.3-12, jan./dez. 2011.

GAGNON-ARGUIN, Louise. La création. In: COUTURE, Carol et al. Les fonctions de l’archivistique contemporaine. Québec: Presses de L’universitè Du Quebec, 1999. p. 69-101.

GOMES, Hagar Espanha; MOTTA, Dilza Fonseca da; CAMPOS, Maria Luiza de Almeida. Revisitando Ranganathan: a classificação na rede. [S.l.], ago. 2006. Disponível em: . Acesso em: 25 fev. 2018.

GONÇALVES, Janice. Como classificar e ordenar documentos de arquivo. São Paulo: Arquivo do Estado, 1998

HÉON, Gilles. La classification. In: COUTURE, Carol et al. Les fonctions de l’archivistique contemporaine. Québec: Presses de L’universitè Du Quebec, 1999. p. 219-253.

HOLLÓS, Adriana Cox. A tecnologia digital como recurso de preservação de acervos documentais. In: SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE BIBLIOTECAS DIGITAIS BRASIL, 2007, São Paulo. Anais... São Paulo: [s.n.], 2007. p. 1 - 27.

INDOLFO, Ana Celeste. Avaliação de documentos de arquivo: atividade estratégica para a gestão de documentos. Revista do Arquivo Geral da Cidade do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, v. 6, p.13-37, 2012.

INNARELLI, Humberto Celeste. Preservação de documentos digitais públicos. 2011.

JAPIASSÚ, Hilton; MARCONDES, Danilo. Dicionário básico de filosofia. Rio de Janeiro: Zahar, 2001.

LAMBERT, James. L’accroissement (l’acquisition). In: COUTURE, Carol et al. Les fonctions de l’archivistique contemporaine. Québec: Presses de L’universitè Du Quebec, 1999. p. 145-217.

LEÃO, Flávia Carneiro. A representação da informação arquivística permanente: a normalização descritiva e a ISAD(G). 2006. 81 f. Dissertação (Mestrado em Ciência da Comunicação) – Escola de Comunicação e Artes, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2006.

MAIA, Regina M.C.S; ALVARENGA, Lídia. Teoria da Classificação Facetada e Contribuições para o Modelo Entidade Relacionamento. Prisma.com, [Porto], v. 25, p.91-125, 2014. Disponível em: http://ojs.letras.up.pt/index.php/prismacom/article/view/1870/1703. Acesso em: 30 abr. 2018.

MAUREL, Dominique; CHAMPAGNE, Michel. La description et l’indexation. In: COUTURE, Carol et al. Les fonctions de l’archivistique contemporaine. Québec: Presses de L’universitè Du Quebec, 1999. p. 255-371.

PEARCE-MOSES, Richard. A Glossary of Archival and Records Terminology. Chicago: The Society of American Archivists, 2005. Disponível em: http://files.archivists.org/pubs/free/SAA-Glossary-2005.pdf. Acesso em: 20 set. 2017.

PERRON, Johanne; CHARBONNEAU, Hélène. La préservation. In: COUTURE, Carol et al. Les fonctions de l’archivistique contemporaine. Québec: Presses de L’universitè Du Quebec, 1999. p. 429-469.

POMBO, Olga. Da classificação dos seres à classificação dos saberes. Leituras: Revista da Biblioteca Nacional, Lisboa, v. 2, n.3, p.19-33, out./abr. 1997/1998. Disponível em: http://cfcul.fc.ul.pt/textos/OP%20-%20Da%20Classificacao%20dos%20Seres%20a%20Classidicacao%20dos%20Saberes.pdf. Acesso em: 2 set. 2017.

ROSSEAU, Jean-Yves; COUTURE, Carol. Os fundamentos da disciplina arquivística. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 1998.

SANTOS, Henrique Machado dos; FLORES, Daniel. O documento digital no contexto das funções arquivísticas. Páginas A&b Arquivos & Bibliotecas, [Porto], v. 5, n. 3, p.165-177, fev. 2016.

SCHELLENBERG, Theodore R. Arquivos Modernos: princípios e técnicas. 6. ed. Rio de Janeiro: FGV, 2010.

SOCIETY OF AMERICAN ARCHIVISTS. Guidelines for Evaluation of Archival Institutions. 2012. Conselho da SAA, jan. 1994. Disponível em: https://www2.archivists.org/groups/standards-committee/guidelines-for-evaluation-of-archival-institutions. Acesso em: 16 abr. 2018.

SOUSA, Fábio Nascimento. Funções arquivísticas: Contribuições para o cumprimento da lei de acesso à informação. 2013. 60 f. Monografia (Especialização em Gestão em Arquivos) –Universidade Federal de Santa Maria, Cachoeira do Sul, 2013. Disponível em: http://repositorio.ufsm.br/bitstream/handle/1/114/Souza_Fábio_Nascimento.pdf?sequence=3. Acesso em: 25 set. 2017.

SOUSA, Renato Tarciso Barbosa de. Os princípios arquivísticos e o conceito de classificação. In: RODRIGUES, Georgete Medleg; LOPES, Ilza Leite (org.). Organização e representação do conhecimento na perspectiva da Ciência da Informação. Brasília: Thesaurus, 2003. p. 240-269.


Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2019 ÁGORA: Arquivologia em Debate

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

ÁGORA: Arquivologia em debate
Universidade Federal de Santa Catarina, ISSN 0103-3557, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.

Licença Creative Commons Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional. Apoio técnico de Lepidus Tecnologia