As teias e as glórias: os arquivos do IHGSC e da ACL sob uma perspectiva prosopográfica

Karla Simone Willemann Schutz

Resumo


O presente artigo volta-se para a documentação presente nas pastas pessoais armazenadas nos arquivos do Instituto Histórico e Geográfico de Santa Catarina e da Academia Catarinense de Letras no sentido de pensá-las como evidências tanto das redes de sociabilidade a ela subjacentes quanto de um processo de arquivamento que é também promotor da construção de determinadas representações acerca de seus titulares no tempo presente. Os documentos nestas pastas salvaguardados indicam, de certa forma, a existência de padrões de relações e atividades de alguns dos homens membros de ambas as instituições. Nesse sentido, entra em cena o método prosopográfico, indicando que os percursos individuais desses personagens quando pensados em conjunto, e em relação à reunião de indícios presentes nestas pastas pessoais, apontam para a tentativa de perpetuar uma memória positiva destes, seus feitos, suas inúmeras produções, seus diplomas, seus prêmios. A miríade documental encontrada nestes arquivos parece, ainda, criar uma narrativa quase ausente de conflitos e contradições e, desta forma, forja para esses personagens uma imagem idealizada e edificante, a qual tanto as instituições que abrigam estes indícios quanto aqueles que realizaram este arquivamento parecem desejar legar para a posteridade.


Palavras-chave


Arquivos; Academia Catarinense de Letras; Instituto Histórico e Geográfico de Santa; CatariHistória do Tempo Presente; Prosopografia

Texto completo:

PDF/A

Referências


BLOCH, M. Apologia da história ou o ofício do historiador. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001.

CAMARGO, Ana Maria de Almeida. Contribuição para uma Abordagem Diplomática dos Arquivos Pessoais. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v.11, n.21, p. 169-174, 1998.

CAMARGO, Ana Maria de Almeida. Arquivos pessoais são arquivos. Revista do Arquivo Público Mineiro, Belo Horizonte, v.45, n.2, p.26-39, jul./dez., 2009.

CHARTIER, Roger. À beira da falésia: a história entre certezas e inquietude. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2002.

COOK, Terry; SCHWARTZ, Joan M. Archives, Records, and Power: The Making of Modern Memory. Archives Science, Dordrecht, v. 2, n 1-2, p 1-19, mar. 2002.

CUNHA, Maria Teresa Santos. Essa coisa de guardar... Homens de letras e acervos pessoais. História da Educação, Pelotas (RS), v.12, n.25, p.109-130, maio-ago., 2008.

DALLABRIDA, Norberto. A força da tradição: ex-alunos do Colégio Catarinense em destaque e em rede. História da Educação, Pelotas (RS), v.12, n.26, p.141-163, set./dez., 2008.

DERRIDA, Jacques. Mal de arquivo: uma impressão freudiana. Rio de Janeiro: Relume-Dumara, 2001.

FERRARI, Marcela. Prosopografía e história política: Algunas aproximaciones. Antíteses, Londrina, v.3, n.5, p. 529 - 550jan.-jul. 2010, p. 541.

GONÇALVES, Janice. Sombrios umbrais a transpor: arquivos e historiografia em Santa Catarina no século XX. Tese (Doutorado) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Programa de Pós-Graduação em História Social, Universidade de São Paulo. São Paulo, 2006.

GONÇALVES, Janice. Escavar o Chão da História: Lucas Alexandre Boiteux, o IHGSC e a Pequena Pátria Catarinense. Revista Expedições, Morrinhos, v. 8, n. 2, p. 49-67, mai./ago., 2017.

HEYMANN, Luciana. O lugar dos arquivos: a construção do legado de Darcy Ribeiro. Rio de Janeiro: ContraCapa, FAPERJ, 2012. p. 23-85.

HEYMANN, Luciana. Arquivos pessoais em perspectiva etnográfica. In: HEYMANN, Luciana; TRAVANCAS, Isabel; ROUCHOU, Joelle (org.). Arquivos Pessoais: reflexões disciplinares e experiências de pesquisa. Rio de Janeiro: FGV, 2013. p.67-76

HUYSSEN, Andreas. Seduzidos pela memória. Rio de Janeiro: Aeroplano, Universidade Cândido Mendes, Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, 2000.

HUYSSEN, Andreas. Culturas do passado-presente: modernismos, artes visuais, políticas da memória. Rio de Janeiro: Contraponto, 2014.

LEVI, Giovani. Usos da biografia. In: FERREIRA, Marieta de Moraes; AMADO, Janaína. Usos e Abusos da História Oral. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2006.

MONTALVÃO, Sérgio. Histórias cruzadas: uma prosopografia dos fundadores da Revista Brasiliense (São Paulo, 1955). História, São Paulo, v.36, p. 1-28, 2017.

NORA, Pierre. NORA, Pierre. Entre memória e História: a problemática dos lugares. Projeto História, São Paulo, n. 10, p. 7-28, dez., 1993.

OLEGÁRIO, Thais. Aportes e limites da prosopografia para o estudo da história. Revista Outras Fronteiras, Cuiabá, v. 4, n. 2, p.24-40, jul./dez., 2017.

SIRINELLI, Jean-François. Os intelectuais. In: REMOND, René (org.). Por uma história política. Rio de Janeiro: Universidade Federal do Rio de Janeiro; Fundação Getúlio Vargas, 1996.

STONE, Lawrence. Prosopografia. Revista de Sociologia e Política, Curitiba, v. 19, n. 39, p. 115-137, jun., 2011.

XAVIER, Libânia Nassif. Interfaces entre a história da educação e a história social e política dos intelectuais: conceitos, questões e apropriações. In: GOMES, Angela de Castro; HANSEN, Patricia Santos (org.) Intelectuais Mediadores: Práticas culturais e ação política. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2016. p. 464-486.


Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2019 ÁGORA: Arquivologia em debate

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

ÁGORA: Arquivologia em debate
Universidade Federal de Santa Catarina, ISSN 0103-3557, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.

Licença Creative Commons Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional. Apoio técnico de Lepidus Tecnologia