Diagnóstico arquivístico: um relato de experiência na Pró-Reitoria de Pesquisa e Extensão (PROPEX) do Instituto Federal de Sergipe (IFS)

Manuela do Nascimento Silva, Verônica dos Santos Barboza, Dulce Elizabeth Lima de Sousa e Silva

Resumo


O presente artigo objetiva o destaque para a criação e uso de um diagnóstico que viabiliza a coleta e padronização dos procedimentos quanto à documentação produzida e/ou recebida, obedecendo às políticas arquivísticas a fim de aplicar a gestão documental dentro da instituição PROPEX. A metodologia utilizada foi a revisão bibliográfica momento em que a literatura existente corrobora com os fatos atuais esclarecendo pontos da pesquisa, e o estudo de caso foi o suporte para os resultados mais profundo e detalhado da pesquisa. A análise evidencia uma realidade que envolve muitas instituições, desburocratizar os processos que implica o acesso às informações e organização do seu acervo é uma lacuna existente, uma saída é a busca por soluções a fim de melhorar o espaço físico e disponibilizar a informação no momento da busca. Assim, os dados coletados tornaram-se um ponto de partida para a aplicação da gestão documental que visa a organização e padronização dos documentos setoriais por meio das técnicas arquivistas com a finalidade de dar acesso às informações institucionais de forma coerente e organizada. Conclui que o objetivo testifica o diagnóstico setorial como um vetor que possibilita a organização e padronização dos documentos contribuindo de forma positiva para a gestão documental.


Palavras-chave


Diagnóstico arquivístico; Gestão documental; Arquivo setorial.

Texto completo:

DOC PDF

Referências


BRASIL. Tribunal Superior Eleitoral. Secretaria de Gestão da Informação. Acervo arquivístico: diagnóstico 2008. Brasília: TSE, 2009. Disponível em: http://www.tse.jus.br/hotsites/catalogo-publicacoes/pdf/acervo_arquivistico/Diagnostico_do_acervo_arquivistico.pdf. Acesso em: 19 nov. 2018.

BELLOTTO, H. L. Arquivos permanentes: tratamento documental. 4. Ed. Rio de Janeiro: FGV, p. 35-43, 2006.

CALDERON, W. R. O arquivo e a informação arquivística: da literatura científica à prática pedagógica no Brasil. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2013.

CALDERON, W. R; CORNELSEN, J. M; PAVEZI, N.; LOPES, M. A. O processo de gestão documental e da informação arquivística no ambiente universitário. Ciência da Informação , Brasília, v.33, n.3, p.97-104, set./ dez.2004,

FARIAS, M. S.; Gestão por Competência: competências como fonte de valor para o indivíduo e a organização. Disponível em: https://www.webartigos.com/artigos/gestao-por-competencia-competencias-como-fonte-de-valor-para-o-individuo-e-a-organizacao/106089. Acesso em: 05 dez. 2018.

FEITOSA, R. A. B; ALMEIDA, S. S; LIMA, E. S. Diagnóstico arquivístico como instrumento à proposta de uma política de gestão de documentos: um relato de experiência no SEBRAE/PB1, Archeion Online, João Pessoa, v.5, Número Especial, p.66-83, jul. / dez. 2017. Disponível em: http://www.periodicos.ufpb.br/ojs/index.php/archeion/article/view/36267. Acesso em: 29 nov. 2018.

FERREIRA, L. C; MELO, D. G. P. Diagnóstico de arquivos: Instrumentos de ação efetiva na Gestão Documental. In: I Fórum Internacional de Arquivologia: João Pessoa: 2008.

FLEURY, M. T. L.; FLEURY, A. Construindo o conceito de competência. Revista administracao Contemporanea, Curitiba , v.5 n.. spe. 2001. On-line ISSN 1982-7849. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-65552001000500010&lng=pt&tlng=pt. Acesso em: 05 dez. 2018.

GADELHA, A. S. O diagnóstico em arquivos e sua relação com a gestão de documentos no setor público. AGCRJ revista. n.13, 2017, p.395-418. Disponível em: http://wpro.rio.rj.gov.br/revistaagcrj/wp-content/uploads/2018/02/AGCRJ_revista_180201-1-69-92.pdf. Acesso em: 30 nov. 2018.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6.ed. São Paulo: Atlas, 2008.

JARDIM, J. M. A implantação da lei de acesso à informação pública e a gestão da informação arquivística governamental. Liinc em Revista, Rio de Janeiro, v.9, n.2, p. 383-405, nov. 2013. Disponível em: http://www.ibict.br/liinc. Acesso em: 06 dez. 2018.

PAES, Marilena Leite. Arquivo: teoria e prática. 3. ed. rev. e ampl. Rio de Janeiro, RJ: FGV, 2004. 225 p. ISBN 852250220X.

RONCAGLIO, C; SZVARÇA, D. R.; BOJANOSKI, S. F. Arquivos, gestão de documentos e informação. Encontros Bibli: Revista Eletrônica de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Florianópolis, n. esp., p. 1-13, 2. sem. 2004. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/eb/article/view/1518-924.2004v9nesp2p1/5486. Acesso em: 21 nov. 2018.

RODRIGUES, Auro de Jesus. Metodologia científica. 4. ed. Aracaju: UNIT, 2011.

SANTOS, Fernando Augusto Soares. Proposta de intervenção para o arquivo da Escola Municipal Jaidê Rodrigues de Menezes no município de Bayeux – PB. Orientador: Rosa Zuleide Lima de Brito. 2015. 41f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Arquivologia) - Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, 2015. Disponível em: http://www.ccsa.ufpb.br/arqv/contents/paginas/2015-2. Acesso em: 19 nov. 2018.

SCHELLENBERG, T. R. Arquivos modernos: princípios e técnicas. 6. ed. Rio de Janeiro, RJ: Fundação Getúlio Vargas, 2008. 386 p. ISBN 8522503745.

SCHMIDT, Luciana; MATIAS, Márcio. Tabela de temporalidade para arquivo pessoal: uma proposta. Revista ACB: Biblioteconomia em Santa Catarina, Florianópolis, v. 21, n. 3, p. 960-972, ago. /nov., 2016.

SILVA, Simone Francisco da. Diagnóstico Arquivístico: incursões teórico- metodológica. Orientador: Bernardina Maria Juvenal Freire de Oliveira. 2015. 25f. Artigo de Conclusão de Curso (Graduação em Arquivologia) - Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, 2014. Disponível em: www.ccsa.ufpb.br/arqv/contents/documentos/089SimoneFranciscodaSilva.pdf. Acesso em: 27 nov. 2018.

VALENTIM. M. L.P; JORGE. C.F.B; SORIA. M.G. C. Contribuição da Competência em Informação para os processos de Gestão da Informação e do Conhecimento. Revista da Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação da UFRGS v. 20, n.2 – jul. /dez. 2014. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/EmQuestao/article/view/48642/32122. Acesso em: 27 nov. 2018.

VALENTINI, R. Arquivologia para concurso. 2. ed. Rio de Janeiro, RJ: Elsevier, 2009.

VENTURA. M. M. Estudo de caso como modalidade de pesquisa. Revista Brasileira de Cardiologia, Rio de Janeiro, v. 20, n. 5, p. 383-386, set./out. 2007. Disponível em: http://www.rbconline.org.br/artigo/o-estudo-de-caso-como-modalidade-de-pesquisa/. Acesso em: 20 nov. 2018.


Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2019 ÁGORA: Arquivologia em debate

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

ÁGORA: Arquivologia em debate
Universidade Federal de Santa Catarina, ISSN 0103-3557, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.

Licença Creative Commons Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional. Apoio técnico de Lepidus Tecnologia