Modelo de Controle da Autoridade de nomes pessoais: uma proposta para o Repositório Institucional da Universidade Federal do Rio Grande

Carmen Islair Bilhalva Cardoso, Angélica Conceição Dias Miranda

Resumo


O surgimento dos repositórios Institucionais moderniza os modos de submissão e revela os responsáveis pela criação intelectual acadêmica. Nesta perspectiva, realizou-se um estudo de caso, com o objetivo de propor um modelo de controle de autoridades para o Repositório Institucional da Universidade Federal do Rio Grande (RI-FURG). O instrumento de pesquisa utilizou-se uma planilha eletrônica na coleta de dados, se configura em quantiqualitativas ao listar e identificar possíveis equívocos nos nomes no Catálogo de autores do RI, o universo deste estudo. O período, do primeiro ao segundo semestre do ano de 2018. Identificou-se oito mil e dezenove nomes, dos quais mil trezentos e quarenta e três ambíguos, que foram listados e corrigidos nas plataformas abertas Lattes e ORCID e bases de currículos acadêmicos, VIAF e Biblioteca Nacional (BN) o que resultou na elaboração de modelo de controle de autoridade para o Repositório Institucional da Universidade Federal do Rio Grande.


Palavras-chave


Repositório Institucional; Controle de autoridade; Universidade Federal do Rio Grande

Texto completo:

DOC PDF

Referências


ASSUMPÇÃO, F. S. Controle de autoridade. In: ABECIN, 01, 2012, Universidade Estadual de Londrina. Londrina p. 11-126. [livro eletrônico]: 2012. Disponível: http://docs.fabricioassumpcao.com/2012-assumpcao-controle-de-autoridade.pdf . Acesso em: 1 maio 2018.

ASSUMPÇÃO, F. S; SANTOS, P. L. V. A. da C. A importância do controle de autoridade: uma abordagem baseada nos objetivos e nas funções dos catálogos. In: ENCONTRO NACIONAL DE CATALOGADORES; ENCONTRO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM CATALOGAÇÃO, 1.; 3., 2012, Rio de Janeiro, 2012. Anais... Rio de Janeiro: Biblioteca Nacional, 2012. Disponível em: http://eprints.rclis.org/18843/. Acesso em: 1 maio 2018.

ASSUMPÇÃO, F. S; SANTOS, P. V. A.da C; ZAFALON, Z. R. O controle de autoridade no domínio bibliográfico: os catálogos em livros e em fichas. Biblios, Pittsburgh , n. 67, p. 84-98, abr. 2017 .Disponível em: http://www.scielo.org.pe/pdf/biblios/n67/a07n67.pdf.Acesso em: 10 nov. 2018.

BRITO, A. G. C. de; QUONIAM, L; MENA-CHALCO, J. P. Exploração da Plataforma Lattes por assunto: proposta de metodologia.Transinformação, v. 28, n. 1, p. 77-86, abr. 2016. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-37862016000100077&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 25 maio 2018.

CARVALHO-SEGUNDO, W. R. et al. A implementação de controle de autoridade em sistemas baseados em dspace: The controlauthorityimplementation in dspacedeveloped systems. In: XI CINFORM: Encontro Nacional de Ensino e Pesquisa em Informação, 11. 2013, Escola Politécnica/UFBa Salvador – Bahia: UFBa, 19/21 de ago, p. 2-13. 2013. Disponível em: http://repositorio.ufes.br/bitstream/10/2025/1/artigo%20cinform%20pelo%20modelo.pdf. Acesso em: 16 ago. 2018.

CORRÊA, et al. Implementação do RI FURG: uma visão através do catálogo decisório de autores. Revista ACB: Biblioteconomia em Santa Catarina, v. 17, n. 1, p. 27-41, 2012. Disponível em: http://www.brapci.inf.br/index.php/article/download/20089. Acesso em: 25 abr. 2018.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas, 2010.

GRINGS, L .Controle de autoridades na Biblioteca Nacional do Brasil: breve histórico e práticas atuais. RBBD. Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação, São Paulo, v. 11, n. 2, p. 139-154, jun. 2015. ISSN 1980-6949. Disponível em: https://rbbd.febab.org.br/rbbd/article/view/433. Acesso em: 13 out. 2018.

IBICT WIKI. Sobre o DSpace. Brasília, DF: IBICT,19 nov. 2015.

Disponível em: http://wiki.ibict.br/index.php/Sobre_o_DSpace. Acesso em: 20 abr. 2018.

MACHADO et al.A cada autor, seu nome. a cada nome, seu documento: Política de controle de autoridades em Ambiente de Catalogação Descentralizada e Cooperativa. In: ENCONTRO INTERNACIONAL DE CATALOGADORES, 4. ENCONTRO NACIONAL DE CATALOGADORES, 2.. Centro de Convenção da Firjan- Rio de Janeiro, RJ- Brasil Novembro 27, 2013.

Disponível em: http://www.abinia.org/catalogadores/22-176-1-PB.pdf. Acesso em: 20 set. 2018.

MARCONI, Marina de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Fundamentos da metodologia científica. 7º. Ed. São Paulo : Atlas, 2010.

MEY, E. S. A; SILVEIRA, N. C. Catalogação no plural. Brasília, DF: Briquet de Lemos, 2009.

MUGNAINI, R; et al. Normalização de nomes de autores em fontes de informação institucionais: proposta de um método automático de verificação de erros. Em Questão, v. 18, n. 3, p. 263-279, set./dez. 2012. Disponível em: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=465645976017. Acesso em: 27 maio 2018.

NUNES, R. R; MARCONDES, C. H; WEITZEL, S. da R. Diretrizes para formulação de políticas mandatórias para consolidação dos repositórios institucionais brasileiros. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO, 23., 2012, Rio de Janeiro. Anais... Recife:ANCIB, 2012.Disponível em: http://enancib.ibict.br/index.php/enancib/xiiienancib/paper/view/3782/2905. Acesso em: 2 maio 2018.

UNIVERCIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE. RESOLUÇÃO Nº 005/2010. Dispõe sobre a Política Institucional de Informação da FURG – PII FURG.

Disponível em: http://repositorio.furg.br/static/politica . Acesso em: 12 out. 2018.

ROMANETTO, L. M.; SANTOS, P. L. ; ALVES, R. C. V. O virtual internationalauthority file – viaf e a agregação de valores por metadados de autoridade. Revista Digital de Biblioteconomia & Ciência da Informação, v. 15, n. 3, 2017. Disponível em: http://www.brapci.inf.br/index.php/article/download/58657. Acesso em: 13 out. 2018.

SHINTAKU, M. Federação de repositórios científicos: identificação, análise e proposta de modelo baseado nas tendências tecnológicas e da ciência. 2014. xviii, 268 f., il. Tese (Doutorado em Ciência da Informação) - Universidade de Brasília, Brasília, DF, 2014. Disponível em:

http://repositorio.unb.br/bitstream/10482/18125/1/2014_MiltonShintaku.pdf. Acesso em: 6 jun. 2018.

SHINTAKU, M; MEIRELLES, R. Manual do DSPACE : administração de repositórios. Salvador : EDUFBA, 2010.

SOARES, S. de B. C. O que é ORCID? E porque usálo-lo? 17 maio 2016. 48 slides. [material de apoio para apresentação na 1º Semana de Escrita Científica]. Disponível em: https://pt.slideshare.net/suelybcs/orcid-o-que-e-por-que-uslo-62348608. Acesso em: 5 jun. 2018.

VIEIRA, B. M. Análise sobre o tema Repositórios: visão de gestores de bibliotecas das Instituições Federais que contam com repositórios. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Biblioteconomia). Universidade Federal do Rio Grande, Instituto de Ciências Humanas e da Informação, Curso de Biblioteconomia, Rio Grande, 2014. Disponível em: http://repositorio.furg.br/bitstream/handle/1/5631/An%C3%A1lise%20sobre%20o%20tema%20reposit%C3%B3rios%20vis%C3%A3o%20de%20gestores%20de%20bibliotecas%20das%20institui%C3%A7%C3%B5es%20federais%20que%20contam%20com%20reposit%C3%B3rios.pdf?sequence=1. Acesso em: 19 out. 2018.


Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2019 ÁGORA: Arquivologia em debate

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

ÁGORA: Arquivologia em debate
Universidade Federal de Santa Catarina, ISSN 0103-3557, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.

Licença Creative Commons Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional. Apoio técnico de Lepidus Tecnologia