A memória institucional e a produção científica do arquivista no cenário nacional

Nelma Camêlo Araújo, Sandra Maria Gomes

Resumo


Procura identificar como o arquivista pode contribuir para re-interpretar o passado tendo a memória institucional como elemento de pesquisa, com o objetivo de resgatar e preservar para difundir a memória do passado coletivo, enquanto práticas de representações sociais. O objetivo principal da pesquisa foi de mapear a produção do Arquivista na produção cientifica sobre memória institucional, realizando uma avaliação critica sobre essa produção no período de 2000 a 2009. Enfatiza também que o arquivista não é simplesmente um manipulador de técnicas, é um profissional que necessita ter cultura geral e sensibilidade histórica, a preservação do patrimônio documental de um país depende de sua ação e bom senso, vez que a memória registrada e conservada constituiu a base de toda atividade humana.


Palavras-chave


Memória institucional; Formação interdisciplinar; Arquivista

Texto completo:

PDF/A

Referências


BARRETO, Maria Ângela. Informação e conhecimento na era digital. Transinformação, Campinas 17(2): 111-122, maio/ago, 2005.

_____. Memória e sociedade contemporânea: apontando tendências. Revista ACB: Biblioteconomia em Santa Catarina, Florianópolis, v.12, n.2,p.161-176, jul./dez., 2007.

BARROS, Daniela Martí. A memória. Comciência, n.52, p.1-4, mar. 2004. Disponível em: . Acesso em: 28 abr. 2009.

BRASIL. Lei nº 6.546, de 4 de julho de 1978. Dispõe sobre a regulamentação das profissões de Arquivista e de Técnico de Arquivo, e dá outras providências.

CONARQ. Disponível em: < http://www.conarq.arquivonacional.gov.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=92&sid=52>. Acesso em: 25 mai 2009.

CARBOBE, Salvatore. Reflexões de um arquivista em visita ao arquivo do Estado de São Paulo. ARQUIVO: B. hist. e inf., São Paulo, 2 (2): 47-52, maio/ago.1981

COSTA, Icléia Thiesen Magalhães. Memória institucional: a construção conceitual numa abordagem teórico-metodológica. (Tese em Ciência da Informação) -CNPq/IBICT, UFRJ/ECO. Rio de Janeiro, 1997. 161 p.

DURANTI, Luciana. Registros documentais contemporâneos como prova de ação. Tradução Dora Rocha. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, vol.7, n. 13, 1994, p.49-64.

JARDIM, José Maria; FONSECA, Odila Maria (Org.). A formação do Arquivista no Brasil. Niterói: EDUFF,1999, 167-180 p.

_____. A Invenção da Memória nos Arquivos públicos. Ciência da Informação. Vol. 25, n. 2, 1995.

_____. A produção de conhecimento arquivístico: perspectivas internacionais e o caso brasileiro. (1990-1995). Ciência da Informação, Brasília, v. 27, n.3,1998.

_____. Políticas públicas de informação: a (não) construção de política nacional de arquivos públicos e privados (1994-2006). In: IX ENANCIB. Anais... – São Paulo, 2008.

______. Sistemas e políticas públicas de arquivos no Brasil. Niterói: EdUFF, 1995. LE GOFF, Jacques. História e Memória. Campinas. 5 ed.,SP. UNICAMP, 2003, p.541.

LOPES, Carlos. A imagem e o sonho Arquivístico. Rio de Janeiro: Arquivo Público, 1998.

______. A Imagem e a Sombra da Arquivística. Rio de Janeiro (Brasil); Montreal, Quebec, (Canadá), 1998, p.105. Arquivo Público.

LOPEZ, André Porto Ancona. Arquivista com “A” maiúsculo. Disponível em: . Acesso em: 21 abr. 2009.

OLIVEIRA, Eliane Braga de; RODRIGUES, Georgete M. As concepções de memória na ciência da informação no Brasil: estudo preliminar sobre a ocorrência do tema na produção científica. In: IX ENANCIB, 2008, São Paulo. Anais...São Paulo 2008.

RIBAS, Cláudia S. da Cunha; ZIVIANI, Paula. O Profissional da Informação: rumos e desafios para uma sociedade inclusiva. Revista Informação & Sociedade: Est., João Pessoa, v. 17, n. 3, p.47-57, set./dez.2007.

ROUSSEAU, Jean-Yves; COUTURE, Carol. Os fundamentos da disciplina arquivística. Lisboa, 1998. p.356.

SCHELLENBERG, Theodore. Roosevelt. Arquivos Modernos: princípios e técnicas. 2 ed. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 1974.

______. Arquivos Modernos: princípios e técnicas. 6 ed. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 2006.

SMIT, Johanna W. A recuperação da história: Memória. São Paulo, v.6 n. 20, jan./set. 1994. Entrevista concedida a Pedro.G. de Andrade; Roniwalter Jotobá.


Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2014 ÁGORA ISSN 0103-3557



ÁGORA: Arquivologia em debate
Universidade Federal de Santa Catarina, ISSN 0103-3557, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.

Licença Creative Commons Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional. Apoio técnico de Lepidus Tecnologia