Os benefícios da psicologia organizacional para evitar estresse ocupacional nas unidades de informação

Marcelo Cavaglieri

Resumo


O estresse no ambiente de trabalho das Unidades de Informação – UI tem recebido pouca atenção pelos pesquisadores da área de ciência da informação. Nesse sentido, este estudo visa aprofundar uma maior discussão desse problema global, com possíveis medidas de reestruturação e mudança de postura dos gestores, aliados aos benefícios que a psicologia organizacional pode trazer para evitar o estresse ocupacional nas UI. Esse é um problema mundial e que deve ser amplamente discutido e ter a devida atenção, principalmente nos ambientes em que o foco é o cliente e acontece interação com pessoas e a disseminação de informações para geração de novos conhecimentos. A pesquisa tem caráter bibliográfico, oferecendo discussões baseadas em livros, revistas, artigos científicos e material da internet. A solução de conflitos pessoais nesses ambientes de trabalho, seja em bibliotecas ou arquivos, é fundamental para que níveis de desempenho cada vez maiores sejam atingidos, proporcionando, assim, um ambiente saudável em que os colaboradores possam contribuir de forma efetiva na satisfação das necessidades informacionais de seus interagentes.


Palavras-chave


Estresse Ocupacional; Psicologia Organizacional; Unidades de Informação

Texto completo:

PDF/A

Referências


ABRANTES, Talita. As 50 profissões mais estressantes de 2014 nos EUA. 2014. Disponível em: . Acesso em: 15 maio 2014.

AZEVEDO, Beatriz Marcondes de; BOTOMÉ, Sílvio Paulo. Psicólogo organizacional: aplicador de técnicas e procedimentos ou agente de mudanças e de intervenções nos processos decisórios organizacionais? Revista Psicologia: Organizações e Trabalho, Florianópolis, v. 1, n. 1, jan./jun. 2001.

BORGES, L. O.; OLIVEIRA, A. C. F.; MORAIS, L. T. W. A. O exercício do papel profissional na psicologia organizacional e do trabalho. Revista Psicologia: Organizações e Trabalho, Florianópolis, v. 5, n. 2, p. 101-139, jul./dez., 2005.

CALDAS, Rosângela Formentini; RONCATO, Carolina Izidoro. A formação referencial do comportamento organizacional no enfoque da gestão arquivística. Perspectivas em Gestão & Conhecimento, João Pessoa, v. 2, n. especial, p. 73-86, out. 2012.

CLOT, Yves. A função psicológica do trabalho. Tradução de Adail Sobral. 2. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2007.

COSTA, Caroline Wener Gabriel Santos da; COSTA, Djosete Santos da. O stress ocupacional como fator interveniente na produtividade. XXIII ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO, 2003, Ouro Preto. Anais... Ouro Preto, MG, 2003.

DARAYA, Vanessa. As 10 profissões menos estressantes de 2014. 2014. Disponível em: . Acesso em: 15 maio 2014.

FERNANDES, S. M. B. A.; MEDEIROS, S. M.; RIBEIRO, L. M. Estresse ocupacional e o mundo do trabalho atual: repercussões na vida cotidiana das enfermeiras. Revista Eletrônica de Enfermagem, v. 10, n. 2, p. 414-427, 2008. Disponível em: . Acesso em: 20 maio 2014.

GRANDJEAN, Etienne. Manual de ergonomia: adaptando o trabalho ao homem. 4. ed., Porto Alegre: Bookman, 1998.

LIPP, M. E. N. Stress: conceitos básicos. In: LIPP, M. E. N. (Org.) Pesquisas sobre stress no Brasil: saúde, ocupações e grupos de risco. Campinas, SP: Papirus, 1996.

LIPP, M. E. N. O que é stress. Disponível em: . Acesso em: 15 maio 2014.

LIPP M. E. N; MALAGRIS L. N. O stress emocional e seu tratamento. In: RANGE. B. (Org.). Psicoterapias cognitivo comportamentais. Campinas (SP): Psy II, 2001.

OLIVEIRA, Silas Marques. Reengenharia e estresse em UI. Inf. Inf., Londrina, v. 2, n. 2, p. 59-64, jul./dez. 1997.

OMS – Organização Mundial da Saúde. Relatório Mundial da Saúde: Saúde mental: nova concepção, nova esperança, Lisboa, 2002. Disponível em: . Acesso em: 20 nov. 2013.

ROSSI, A. M. Apresentação ISMA – BR. In: ROSSI, A. M.; PERREWÉ, P. L.; SAUTER, S. L. (Org.) et al. Stress e qualidade de vida no trabalho: perspectivas atuais da saúde ocupacional. São Paulo: Atlas, 2007, p. xvii-xviii.

SAMPAIO, L. A. C.; AMARAL, S. A. Mapeamento das competências gerenciais necessárias aos gerentes das unidades de informação dos Tribunais Superiores do Poder Judiciário Brasileiro. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO, 11, 2010, Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro: ENANCIB, 2010. Disponível em: . Acesso em: 24 mar. 2011.

SARDÁ JUNIOR, Jamir J. et al. Estresse: conceitos, métodos, medidas e possibilidades de intervenção. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2004.

SEAWARD, Brian Luke. Stress: aprenda a lidar com as tensões do dia-a-dia e melhore sua qualidade de vida. São Paulo: Novo Conceito, 2009.

SPECTOR, Paul E. Psicologia nas organizações. 3. ed., São Paulo: Saraiva, 2010.

STONER, James A. F.; FREEMAN, R. Edward. Administração. 5. ed., Rio de Janeiro: LTC, 1999.

TERSARIOLLI, Ariovaldo et al. Doenças ocupacionais em profissionais de unidade de informação. 2005, 155 f. Monografia (trabalho de conclusão de curso de biblioteconomia) – Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo – FESPSP, São Paulo, 2005.

VERGARA, Sylvia Constant. Projetos e relatórios de pesquisa em administração. 3. ed., São Paulo: Atlas, 2000.

ZANELLI, José Carlos; BASTOS, Antônio Virgílio Bittencourt. Inserção profissional do psicólogo em organizações e no trabalho. In: ZANELLI, José Carlos; BORGES-ANDRADE, Jairo Eduardo; BASTOS, Antônio Virgílio Bittencourt (Org.). Psicologia, organizações e trabalho no Brasil. Porto Alegre: Artmed, 2004, p. 466-491.


Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2014 ÁGORA ISSN 0103-3557



ÁGORA: Arquivologia em debate
Universidade Federal de Santa Catarina, ISSN 0103-3557, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.

Licença Creative Commons Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional. Apoio técnico de Lepidus Tecnologia