A relação conceitual entre arquivos e centros de memória

Fernanda Monteiro Araújo

Resumo


O artigo em questão apresenta uma análise reflexiva em torno da importância social adquirida ao longo do processo histórico de instituições reconhecidamente intituladas de arquivos e centros de memória. O objetivo é pensar a relação existente entre ambas as instituições tentando entender e explicar tal relação a partir das atividades-fim de cada uma e não da natureza dos documentos custodiados. No entanto defendemos que de acordo com os conceitos de informação, memória e arquivo que regem as atividades e as missões das duas instituições, essa relação é cada vez mais próxima. As reflexões apresentadas possuem como objeto de análise o Centro de Documentação e Memória Sindical da CUT – CEDOC CUT no âmbito das pesquisas desenvolvidas na tese de doutorado intitulada “A Central Única dos Trabalhadores (CUT) e seu Arquivo: A importância da documentação no processo de construção da memória (1983-2003)”. Ao analisar o CEDOC CUT a partir da sua denominação de centro de documentação tentaremos perceber se o mesmo CEDOC CUT poderia ser reconhecido também como um arquivo.


Palavras-chave


Arquivo; Centro de Documentação; Memória; História

Texto completo:

PDF/A

Referências


ARQUIVO NACIONAL (Brasil). Dicionário brasileiro de terminologia arquivística. Rio de Janeiro: O Arquivo, 2005. (Publicações técnicas-AN, n. 51). Disponível em: .

BELLOTTO, Heloísa Liberalli. Arquivos permanentes: tratamento documental. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2007.

BELLOTTO, Heloísa Liberalli. Arquivística: objetos, princípios e rumos. São Paulo: Associação de Arquivistas de São Paulo, 2002.

CASTRO, Ana Lúcia Siaines de. Informação, ética e museu: uma aproximação conceitual. Datagramazero, v. 6, n. 2, abr. 2005. Disponível em: .

JARDIM, José Maria; FONSECA, Maria Odila. Estudos de usuários em arquivos: em busca de um estado da arte. DataGramaZero, v.5, n.5 out. 2004. Disponível em: < http://www.dgz.org.br/out04/Art_04.htm >. Acesso em: 02 nov. 2014

NORA, Pierre. Entre memória e história: a problemática dos lugares. Rev. Proj. História, São Paulo, n.10, p. 7-28, jul./dez. 1993.

MALHEIRO, Armando Barreiros. Arquivística, biblioteconomia e museologia: do empirismo patrimonialista ao paradigma emergente da Ciência da Informação. In: INTEGRAR: CONGRESSO INTERNACIONAL DE ARQUIVOS, BIBLIOTECAS, CENTROS DE DOCUMENTAÇÃO E MUSEUS: textos. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado, 2002. p. 573-607.

PAES, Marilena Leite. Arquivo: teoria e prática. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2006.

RODRIGUES, Ana Márcia. A teoria dos Arquivos e a gestão de documentos. Perspect. ciênc. inf., Belo Horizonte, v.11 n.1, p. 102-117, jan./abr. 2006.

TESSITORE, Viviane. Como implantar centros de documentação. São Paulo: Arquivo do Estado de SP, Imprensa Oficial, 2003 (Projeto Como Fazer, 09).


Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2015 ÁGORA, ISSN 0103-3557, Florianópolis



ÁGORA: Arquivologia em debate
Universidade Federal de Santa Catarina, ISSN 0103-3557, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.

Licença Creative Commons Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional. Apoio técnico de Lepidus Tecnologia