Reapropriação de arquivos cinematográficos em tempos de YouTube

Carlos Adriano Jeronimo de Rosa, Claudio Marcondes Castro Filho

Resumo


O artigo descreve aspectos de uma pesquisa desenvolvida no campo da reapropriação cinematográfica de arquivo utilizando um filme de found footage. Realizado inteiramente com materiais extraídos do YouTube, o filme Sem título # 3: E para que poetas em tempo de pobreza? (2016) é o objeto de partida que permite abordar algumas questões sobre os estatutos do YouTube em relação à arquivologia. Adotamos como ponto de referência o estudo de caso como método de pesquisa, considerando a pesquisa exploratória e a análise de conteúdo. Por trabalhar justamente o mundo como arquivo, o found footage apresenta-se sob a forma de um procedimento operacional apropriado para se entender os fenômenos da imagem, nos campos da arquivologia, dos meios audiovisuais, das tecnologias da comunicação, das ciências da informação. Prioritariamente referido a uma forma ou gênero de produção cinematográfica, que recicla, reedita e ressignifica imagens alheias, neste estudo o found footage configura-se como um método crítico.


Palavras-chave


Arquivo; Cinema; Found footage; YouTube

Texto completo:

PDF/A

Referências


ADRIANO, Carlos. Found footage (I): o encanto do encontro. Revista Laika, São Paulo, v. 3, n. 5, jun. 2015a. Disponível em: . Acesso em: 5 maio 2016.

ADRIANO, Carlos. Found footage (II): o assombro das so(m)bras. Revista Laika, São Paulo, v. 3, n. 6, dez. 2015b. Disponível em: . Acesso em: 5 maio 2016.

ARAÚJO, Carlos Alberto Ávila. Arquivologia, biblioteconomia, museologia e ciência da informação: o diálogo possível. Brasília: Briquet de Lemos, 2014.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

BASILICO, Stefano (Org.). Cut: film as found object in contemporary video. Milwaukee: Milwaukee Art Museu, 2004.

BOLETIM Bibliográfico Biblioteca Mário de Andrade, São Paulo, v. 45, n. 1/4, jan./dez. 1984.

BOLTER, Jay David; GRUSIN, Richard. Remediation: understanding new media. Cambridge, Massachusetts: The Massachusetts Institute of Technology Press, 2000.

BORGES, Jorge Luis. Ficções. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

BORGES, Jorge Luis. Prologos de la Biblioteca de Babel. Madrid: Alianza, 2001.

BRENEZ, Nicole; CHODOROV, Pip. Cartografia do found footage. Revista Laika, São Paulo, v. 3, n. 5, jun. 2015. Disponível em: . Acesso em: 5 maio 2016.

CAMPOS, Augusto de. Outro. São Paulo: Perspectiva, 2015.

CASTRO FILHO, Claudio Marcondes. Blogues sobre biblioteca escolar. In: ROMÃO, Lucília Maria Souza; GALLI, Fernanda Correa Silveira (Org.). Rede eletrônica: sentidos e(m) movimento. São Carlos: Pedro & João, 2011.

CHARNEY, Leo; SCHWARTZ, Vanessa R. (Org.). O cinema e a invenção da vida moderna. São Paulo: Cosac & Naify, 2004.

CORDEIRO, Rosa Inês de Novais. Análise de imagens e filmes: alguns princípios para sua indexação e recuperação. Ponto de Acesso, Salvador, v. 7, n. 1, p. 67-80, abr. 2013. Disponível em: . Acesso em: 5 maio 2016.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Mil platôs. São Paulo: Editora 34, 2011.

DIDI-HUBERMAN, Georges. A imagem sobrevivente: história da arte e tempo dos fantasmas segundo Aby Warburg. Rio de Janeiro: Contraponto, 2013.

FONSECA, Maria Odila. Arquivologia e ciência da informação. Rio de Janeiro: FGV, 2005.

GIL, Antonio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Atlas, 1999.

HURET Jules. Enquête sur l’évolution littéraire. Paris: Bibliothèque Charpentier, 1891.

LE COADIC, Yves-François. A ciência da informação. Brasília: Briquet de Lemos, 2004.

LEYDA, Jay. Films beget films: a study of the compilation film. NewYork: Hill and Wang, 1971.

PAES, Marilena Leite. Arquivo: teoria e prática. Rio de Janeiro: FGV, 2002.

PESSOA, Fernando. Mensagem. Lisboa: Parceria Antonio Maria Pereira, 1934.

PIGNATARI, Décio. Semiótica & literatura: icônico e verbal, oriente e ocidente. São Paulo: Cortez & Moraes, 1979.

SCHÄFER, Mirko Tobias; KESSLER, Frank. Navigating YouTube: constituting a hybrid information management system. In: SNICKARS, Pelle; VONDERAU, Patrick (Orgs.). The YouTube reader. Estocolmo: National Library of Sweden, 2009, p. 275-291.

SCHRÖTER, Jens. On the logic of the digital archive. In: SNICKARS, Pelle; VONDERAU, Patrick (Orgs.). The YouTube reader. Estocolmo: National Library of Sweden, 2009, p. 330-347.

SNICKARS, Pelle; VONDERAU, Patrick (Orgs.). The YouTube reader. Estocolmo: National Library of Sweden, 2009.

VILA-MATAS, Enrique. Bartleby e companhia. São Paulo: Cosac Naify, 2000.

YIN, Robert K. Estudo de caso: planejamento e métodos. Porto Alegre: Bookman, 2015.

WEES, William C. Recycled images: the art and politics of found footage films. New York: Anthology Film Archives, 1993.


Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2016 ÁGORA ISSN 0103-3557

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

ÁGORA: Arquivologia em debate
Universidade Federal de Santa Catarina, ISSN 0103-3557, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.

Licença Creative Commons Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional. Apoio técnico de Lepidus Tecnologia