Arquivos escolares: um estudo introdutório

Filomena Luciene Cordeiro Reis, João Olímpio Soares dos Reis

Resumo


O presente estudo objetivou compreender os arquivos públicos escolares, especificamente da Escola Estadual Belvinda Ribeiro, localizado na cidade de Montes Claros, Minas Gerais, enquanto lugar de (re)(des)construção do processo educativo por meio do acervo armazenado. A metodologia de estudo se constituiu de visitas ao arquivo da referida Escola; investigação dos tipos documentais; averiguação do local onde a documentação se encontra armazenada; exame do estado do acervo; e entrevistas com os trabalhadores da Instituição, em especial os responsáveis pelo acervo. Constatou-se no estudo que, há uma especificidade em relação aos tipos de documentos escolares, os quais demandam tratamento adequado, pois se tratam de um acervo de caráter administrativo, probatório e histórico.


Palavras-chave


Educação; História da Educação; Arquivos Públicos Escolares

Texto completo:

PDF/A

Referências


ACADEMIA BRASILEIRA DE LETRAS. Disponível em: . Acesso em: 9 mar. 2016.

ARANHA, Maria Lúcia de Arruda. História da educação. São Paulo: Moderna, 1993.

BECK, I. Manual de conservação de documentos. Rio de Janeiro: Ministério da Justiça – Arquivo Nacional, 1985.

BELLOTTO, Heloisa Liberalli. Arquivos permanentes: tratamento documental. São Paulo: T. A. Queiroz Editor, 2006.

CARDOSO, Ciro Flamarion. Uma introdução à história. 7. ed. São Paulo: Brasiliense. 1988.

CARTÓRIO DO 2º OFÍCIO DE MONTES CLAROS. Escritura. Montes Claros, 1959, livro 104, fl. 244.

ESCOLA ESTADUAL BELVINDA RIBEIRO. Regimento escolar: Escola Estadual Belvinda Ribeiro. Montes Claros, MG, nov. 2009.

ESCOLA ESTADUAL BELVINDA RIBEIRO. Projeto Político Pedagógico. Montes Claros, MG, 5 dez. 2013.

ESCOLA ESTADUAL BELVINDA RIBEIRO. Livro de Atas. Montes Claros, 1965-1969.

FEIJÓ, Virgílio de Mello. Documentação e arquivos: arquivos escolares. Porto Alegre: SAGRA, 1988.

FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda. Mini Aurélio: o minidicionário da língua portuguesa – século XXI. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2001.

LE GOFF, Jacques. História e memória. São Paulo: Unicamp, 1992.

LOPES, André Porto Ancona. Tipologia documental de partidos e associações políticas brasileiras. São Paulo: Loyola, 1999.

MACHADO, Liliane Campos. Formação, saberes e práticas de formadores de professores: um estudo em cursos de Licenciatura em História e Pedagogia. 2009. 291 f. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade Federal de Uberlândia.

NORA, Pierra. Entre história e memória: a problemática dos lugares. Revista Projeto História. São Paulo, v. 10, 1993, p. 21-22.

PAES, Marilena Leite. Arquivo: teoria & prática. Rio de Janeiro: Editora Fundação Getúlio Vargas, 1986.

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA. UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS. Relatório de atividades. Montes Claros, ago. 2016.

RAÍZES de Minas. 2009. Disponível em: . Acesso em: 8 mar. 2016.

SANTOS, P. R. dos. Dicionário de verbetes. Disponível em: . Acesso em: 8 mar. 2016.

SECRETARIA DA EDUCAÇÃO DE MINAS GERAIS. Disponível em: . Acesso em: 18 set. 2017.

SILVA, Maria Francisca da. Entrevista concedida a João Olímpio Soares dos Reis. Montes Claros, 9 mar. 2016.


Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 ÁGORA ISSN 0103-3557

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

ÁGORA: Arquivologia em debate
Universidade Federal de Santa Catarina, ISSN 0103-3557, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.

Licença Creative Commons Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional. Apoio técnico de Lepidus Tecnologia