Diagnóstico de arquivo como instrumento de avaliação na gestão documental

Tânia Mara Marques de Oliveira, Sonali Paula Molin Bedin

Resumo


O artigo tem por objetivo investigar a eficácia e a contribuição do diagnóstico na gestão documental pertencente ao arquivo alvo desta pesquisa. Uma vez que este instrumento identifica e aponta as possíveis falhas ou lacunas no armazenamento e no tratamento do acervo pesquisado, é possível realizar por meio do levantamento de dados às propostas que beneficiam o processo de recuperação da informação, a preservação e a conservação dos documentos que fazem parte de qualquer instituição, seja ela, pública ou privada. Diante disto, este artigo se apoia na prática arquivística por estudar as funções do arquivo e trazer embasamento teórico e prático a respeito da relevância do diagnóstico como um mecanismo que possibilita o tratamento da informação que foi gerada, registrada e guardada. Para comprovar a eficácia desse instrumento é apresentado um pequeno estudo de caso referente a uma instituição no qual a coordenadora do setor de informações criou um projeto de gestão de documentos, aplicando o diagnóstico de arquivo para identificar e avaliar os documentos que não eram tratados há anos. Portanto, o objetivo da pesquisa foi alcançado e traz os resultados da aplicação deste instrumento que foi imprescindível na avaliação de todo o processo do fluxo documental, pois de forma precisa apontou a situação do arquivo físico, proporcionando as soluções necessárias para implantar a gestão documental de acordo com a necessidade da instituição, tornando principalmente a informação acessível ao usuário de forma eficaz e eficiente.


Palavras-chave


Diagnóstico de arquivo; Instrumento de avaliação; Gestão Documental

Texto completo:

PDF/A

Referências


ARQUIVO NACIONAL (Brasil). Conselho Nacional de Arquivos. Disponível em: . Acesso em: 13 jun. 2016.

ARQUIVO NACIONAL (Brasil). Dicionário brasileiro de terminologia arquivística. Rio de Janeiro, 2005.232p.

BRASIL. Constituição (1991). Lei n. 8.159, de 08 de janeiro de 1991. Dispõe sobre a política nacional de arquivos públicos e privados e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, 09 jan. 1991. Disponível em: . Acesso em: 04 set. 2016.

CALDERON, Wilmara Rodrigues et al. O processo de gestão documental e da informação arquivística no ambiente universitário. Ci. Inf., Brasilia, v. 33, n. 3, set./dez. 2004. Disponível em: . Acesso em: 20 mar. 2016.

CORNELSEN, Julce Mary; NELLI, Victor Jose. Gestão Integrada da Informação arquivística: o diagnóstico de arquivos. Arquivística.net, Rio de Janeiro, v. 2, n. 2, ago./dez. 2006. Disponível em:

. Acesso em: 15 set. 2016.

DUARTE, Zeny. Arquivo e arquivista: conceituação e perfil profissional. Revista da Faculdade de Letras Ciências e Técnicas do Património. Porto, v. 5-6, n. 1, p. 141-151, 2006-2007. Disponível em: . Acesso em: 19 mar. 2016.

FERREIRA, Lucienne da Costa; MELO, Denise Gomes Pereira. Diagnóstico de Arquivos: Instrumento de Ação Efetiva na Gestão Documental. I FÓRUM INTERNACIONAL DE ARQUIVOLOGIA – UEPB – Campus V - João Pessoa, 25 a 27 de novembro de 2008.

GIL, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

GONÇALVES, Janice. Como classificar e ordenar documentos de arquivo. São Paulo: Arquivo do estado, 1998. Disponível em: . Acesso em: 20 abr. 2016.

LOPES, Uberdan Dos Santos. ARQUIVOS E A ORGANIZAÇÃO DA GESTÃO DOCUMENTAL. Rev. Acb: Biblioteconomia em Santa Catarina, Florianópolis, v. 1, n. 9, p.113-122, jan. 2004. Disponível em: . Acesso em: 23 nov. 2016.

MEDEIROS, Nilcéia Large de; AMARAL, Cléia Márcia Gomes do. A representação do ciclo vital dos documentos: uma discussão sob a ótica da gestão de documentos. Em Questão, Porto Alegre, v.16, n. 2, p. 297-310, jul./dez. 2010. Disponível em . Acesso em: 31 mar. 2016.

PAES, Marilena Leite. Arquivo: teoria e prática. 3. ed. rev. ampl. Rio de Janeiro: FGV, 2004.

RODRIGUES, Ana Célia. Tipologia Documental como Parâmetro para Gestão de Documentos de Arquivo. Disponível em . Acesso em: 04 nov. 2016.

SCHELLENBERG, Theodore Roosevelt. Arquivos modernos: princípios e técnicas. 6. ed. Rio de Janeiro (RJ): FGV, 2006. Cap. 12, p. 179-229.


Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2018 ÁGORA ISSN 0103-3557

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

ÁGORA: Arquivologia em debate
Universidade Federal de Santa Catarina, ISSN 0103-3557, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.

Licença Creative Commons Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional. Apoio técnico de Lepidus Tecnologia