A indexação e o controle de vocabulário em arquivos: uma investigação no âmbito dos Arquivos Públicos Estaduais Brasileiros

Jéssica Ferreira de Sousa Azevedo, Rodrigo de Sales

Resumo


No ambiente arquivístico, uma maneira de aperfeiçoar o acesso aos documentos é o aprimoramento do processo de recuperação da informação. Dentre as perspectivas possíveis de se abordar a questão da recuperação da informação, a indexação ocupa lugar de destaque, uma vez que viabiliza a recuperação de documentos por meio da extração de termos que operam como pontos de acesso aos conteúdos dos mesmos. Tais termos, cuja função é atuar como descritores de conteúdos de documentos, podem ser provenientes de um vocabulário controlado que padroniza e facilita a busca por informações. O presente artigo apresenta os resultados de uma pesquisa que buscou analisar a utilização da indexação e do controle de vocabulário nos arquivos públicos estaduais brasileiros. Para tanto, adotou-se como procedimento metodológico um estudo de caso realizado nos arquivos públicos estaduais, viabilizado por meio de um questionário composto por questões abertas e fechadas, empregado para a etapa de coleta de informações. Tal procedimento permitiu compreender como os arquivos investigados abordam as questões teóricas e práticas atinentes à indexação e ao controle de vocabulário. Os resultados obtidos reiteram que, de fato, o processo de indexação e os instrumentos de controle terminológico ainda não é consenso nos arquivos públicos estaduais brasileiros estudados.

Palavras-chave: Indexação em Arquivos. Recuperação da Informação. Indexação. Vocabulário Controlado.


Palavras-chave


Indexação em Arquivos; Recuperação da Informação; Indexação; Vocabulário Controlado

Texto completo:

PDF/A

Referências


ARAÚJO JÚNIOR, Rogério Henrique de. Precisão no processo de busca e recuperação da informação. Brasília: Thesaurus, 2007.

ARAÚJO JÚNIOR, Rogério Henrique de; SOUSA, Renato Tarciso Barbosa de; ALBUQUERQUE, Sérgio Farias de. Métodos, técnicas e instrumentos de organização e gestão da informação nas organizações. In: BATISTA, Dulce Maria Baptista; ARAÚJO JÚNIOR, Rogério Henrique de (org.). Organização da informação: abordagens e práticas. Brasília: Thesaurus, 2015.

ARQUIVO NACIONAL. Dicionário brasileiro de terminologia arquivística. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2005.

Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). NBR 12676: métodos para análise de documentos - determinação de seus assuntos e seleção de termos de indexação. Rio de Janeiro, 1992.

BARROS, Thiago Henrique Bragato. A Indexação e a Arquivística: aproximações iniciais no universo teórico da organização e representação do conhecimento. Encontros Bibli: revista eletrônica de biblioteconomia e ciência da informação, Florianópolis, v. 21, n. 46, p. 33-44, maio/ago., 2016.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Diário Oficial da União, Brasília, DF. 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/Constituicao.htm. Acesso em: 19 jul. 2016.

BRASIL. LEI 8.159, de 08 de janeiro de 1991. Dispõe sobre a política nacional de arquivos públicos e privados e dá outras providências. Diário oficial da República Federativa do Brasil. Brasília, DF. 1991. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L8159.htm. Acesso em: 10 jun. 2016.

BRASIL. LEI n. 12.527, de 18 de novembro de 2011. Regula o acesso a informações previsto no inciso XXXIII do art. 5o, no inciso II do § 3o do art. 37 e no § 2o do art. 216 da Constituição Federal; altera a Lei no 8.112, de 11 de dezembro de 1990; revoga a Lei no 11.111, de 5 de maio de 2005, e dispositivos da Lei no 8.159, de 8 de janeiro de 1991; e dá outras providências. Diário oficial da República Federativa do Brasil. Brasília, DF. 2011. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2011/lei/l12527.htm. Acesso em: 18 jul. 2016.

BRASCHER, Marisa; CAFÉ, Lígia. Organização da informação ou organização do conhecimento?. Comunicação oral apresentada no IX ENANCIB ao GT-02 - Organização e representação do conhecimento, São Paulo, 2008.

CINTRA, Anna Maria Marques, et al. Para entender as linguagens documentárias. 2. ed. São Paulo: Polis, 2002.

CONSELHO NACIONAL DE ARQUIVOS (CONARQ). NOBRADE: norma brasileira de descrição arquivística. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2006.

CRUZ, Emília Barroso. Manual de gestão de documentos. 2. ed. Belo Horizonte: Secretaria de Estado de Cultura de Minas Gerais, 2013. Cadernos técnicos do Arquivo Público Mineiro. n. 3.

CRUZ MUNDET, José Ramón. Manual de archivística. Madrid: Fundación Germán Sanchez Rupieréz, 2008.

DÍAZ, Juan Carlos Galende; RUIPÉREZ, Mariano García. El concepto de documento desde una perspectiva interdisciplinar: de la diplomática a la archivística. Revista General de Información y Documentación. Madrid: 2003. n. 2.

GONÇALVES, Janice. Como classificar e ordenar documentos de arquivo. São Paulo: Arquivo do Estado, 1998. 37 p.

INDOLFO, Ana Celeste et al. Gestão de documentos: conceitos e procedimentos básicos. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 1995. 49 p.

KOBASHI, Nair Yumiko. Vocabulário controlado: estrutura e utilização. Escola Nacional de Administração, 2008. (Texto preparado para subsidiar o debate sobre vocabulário controlado da Pesquisa Mapeamento para a reunião da Rede de Escolas do Governo).

LARA, Marilda Lopes Ginez de. Linguagens documentárias, instrumentos e mediação e comunicação. Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação, São Paulo, v. 26, n. 1/2, p. 72-80, jan./jun. 1993.

LIMA, José Leonardo Oliveira; ALVARES, Lillian. Organização e representação da informação e do conhecimento. In: ALVARES, Lillian (org.). Organização da informação e do conhecimento: conceitos, subsídios interdisciplinares e aplicações. São Paulo: B4 Editores, 2012. 248 p. 21-48.

MARTINS, Paula Ligia. Acesso à informação: um direito fundamental e instrumental. Acervo, Rio de Janeiro, v. 24, n. 1, p. 233-244, jan./jun. 2011.

NOVELLINO, Maria Salete Ferreira. Instrumentos e metodologias de representação da informação. Informação & Informação, Londrina, v. 1, n. 2, p. 37-45, jul./dez. 1996.

PETERSON, Trudy Huskamp. Um Projeto Sobre Acesso. Acervo, Rio de Janeiro, v. 24, n. 1, p. 217-232, jan./jun. 2011.

PINTO, Mariane Costa. A indexação na recuperação da informação em arquivos: uma abordagem inicial. Ágora, Florianópolis, v. 26, n. 52, p. 141-150, jan./jun. 2016.

RIBEIRO, Cândida Fernanda Antunes. Indexação e controlo de autoridade em arquivos. Porto: Câmara Municipal, 1996.

RIBEIRO, Cândida Fernanda Antunes. O acesso à informação nos arquivos. Porto. 1998. Dissertação (Doutorado em Arquivística) – Faculdade de Letras, Universidade do Porto, Porto, 1998.

RIBEIRO, Cândida Fernanda Antunes. Organizar e representar informação: apenas um meio para viabilizar o acesso?. Revista da faculdade de letras, ciências e técnica do património, Porto, v. 4, p. 83-100, 2005.

RODRIGUES, Georgete Medleg. A representação da informação em arquivística: uma abordagem a partir da perspectiva da Norma Internacional de Descrição Arquivística. In: RODRIGUES, Georgete Medleg.; LOPES; Ilza Leite (orgs.). Organização e representação do conhecimento na perspectiva da ciência da informação. Brasília: Thesaurus, 2003. p. 210-229.

RODRIGUES, Georgete Medleg. Legislação de acesso aos arquivos no Brasil: um terreno de disputas políticas pela memória e pela história. Acervo, Rio de Janeiro, v. 24, n. 1, p. 257-286, jan./jun. 2011.

ROUSSEAU, Jean-Yves; COUTURE, Carol. Os fundamentos da disciplina arquivística. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 1998.

RUBI, Milena Polsinelli; FUJITA, Mariângela Spotti Lopes. Elementos de política de indexação em manuais de indexação de sistemas de informação especializados. Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v. 8, n. 1, p.66-77, jan./jun. 2003.

SALES, Rodrigo de. Tesauros e ontologias sob a luz da teoria comunicativa da terminologia. Florianópolis. 2008. 164 f. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação), Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2008.

SCHELLENBERG, Theodore Roosevelt. Arquivos modernos: teoria e prática. 6. ed. Rio de Janeiro: FGV, 2006.

SCHMIDT, Clarissa Moreira dos Santos. Arquivologia e a construção do seu objeto científico: concepções, trajetórias e contextualizações. São Paulo. 2012. 320 f. Tese (Doutorado em Ciência da Informação) – Escola de Comunicações e Artes, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012.

SMIT, Johanna Wilhelmina; KOBASHI, Nair Yumiko. Como elaborar vocabulário controlado para aplicação em arquivos. São Paulo: Arquivo do Estado, 2003. 56 p.

SOUSA, Renato Tarciso Barbosa de; ARAÚJO JÚNIOR, Rogério Henrique de. A indexação e criação de taxonomias para documentos de arquivo: proposta para a expansão do acesso e integração das fontes de informação. Brazilian Journal of Information Science: Research Trends. v. 11, n. 4, p.47-56, 2017.


Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2019 ÁGORA: Arquivologia em debate.

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

ÁGORA: Arquivologia em debate
Universidade Federal de Santa Catarina, ISSN 0103-3557, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.

Licença Creative Commons Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional. Apoio técnico de Lepidus Tecnologia