Princípios e características de documentos arquivísticos: algumas questões terminológicas

Autores

Palavras-chave:

Princípios arquivísticos, Características de documentos arquivísticos, Terminologia arquivística

Resumo

A terminologia é fundamental para a comunicação científica e desenvolvimento das mais diversas áreas do saber e, por isso, compreender de que maneira os conceitos são enunciados nos dicionários de terminologia oferece um panorama do desenvolvimento da própria área. Metodologicamente o estudo é uma pesquisa bibliográfica e documental, descritiva e qualitativa. Analisa como dicionários brasileiros de terminologia arquivística tratam os princípios arquivísticos, bem como as características dos documentos de arquivo, a partir do significado do termo princípio e característica; para tanto, utiliza a filosofia e a Teoria do Conceito de Dalhberg. Foram analisados três dicionários brasileiros de terminologia arquivística: Dicionário de Terminologia Arquivística (DTA), da Associação dos Arquivistas Brasileiros/Núcleo do Estado de São Paulo (1996), Dicionário Brasileiro de Terminologia Arquivística (DIBRATE), do Arquivo Nacional do Brasil (2005) e Dicionário de Biblioteconomia e Arquivologia (DBA), dos autores Murilo Bastos da Cunha; Cordélia Robalinho de Oliveira Cavalcanti (2008). Constata que embora alguns conceitos sejam enunciados de forma semelhante, a nominação de um princípio e, também, de características não ocorre de maneira uniforme. Conclui que a Terminologia reflete o desenvolvimento teórico da área e sugere que sejam realizadas outras pesquisas que aprofundem conceitualmente a territorialidade, a imprescritibilidade, a inalienabilidade e a integridade arquivística. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Kíssila Rangel, Universidade Federal Fluminense

Mestre em Gestão de Documentos e Arquivos (UNIRIO-2015), especialista em Preservação de Acervos de Ciência e Tecnologia (MAST-2010), possui graduação em Arquivologia pela Universidade Federal Fluminense (UFF-2009). Atuou junto a projetos de pesquisa na área de tipologia documental e gestão de documentos no Museu de Astronomia e Ciências Afins (MAST) e Casa de Oswaldo Cruz (FIOCRUZ). No período compreendido entre 2011-2016, atuou como oficial arquivista no Centro de Documentação da Aeronáutica e desenvolveu projetos nas áreas de: normatização, assessoria técnica, implantação de SIGAD, indicadores de produção na atividade de Arquivologia, preservação de arquivos pessoais e difusão de acervos. Desde 2016 é servidora da Universidade Federal Fluminense, lotada na Divisão de Gestão Institucional. No ano de 2017 atuou como Professora Substituta (20h) no Departamento de Ciência da Informação da mesma universidade. Atualmente, participa da Comissão de Mapeamento de Processos da Universidade e atua junto ao grupo de implantação do Sistema Eletrônico de Informações (SEI-UFF). Assuntos de interesse: Teoria Arquivística, Gestão de documentos e Mapeamento de Processos.

Maria Celina Soares de Mello e Silva, Museu Imperial

Possui graduação em Arquivologia pela Universidade Federal Fluminense (1987), mestrado em Memória Social pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (1995) e doutorado em História Social pela Universidade de São Paulo (2007). Atualmente é analista em c&t - Museu Imperial. Tem experiência na área de Ciência da Informação, com ênfase em Organização de Arquivos, atuando principalmente nos seguintes temas: arquivo pessoal, organização de arquivos, arquivo científico, preservação de arquivos e preservação de acervos.

Referências

ALBUQUERQUE, Ana Cristina de; SOUTO, Diana Vilas Boas. Acerca do Princípio da Proveniência: Apontamentos Conceituais. Revista ÁGORA, Florianópolis, v. 23, n. 46, p. 14-43, 2013.

ARQUIVO NACIONAL (Brasil). Dicionário brasileiro de terminologia arquivística. Rio de Janeiro: O Arquivo, 2005. (Publicações técnicas-AN, n. 51). Disponível em: <http://www.arquivonacional.gov.br/download/dic_term_arq.pdf>. Acesso em: 10 jun. 2020.

_______. Subsídios para um dicionário brasileiro de terminologia arquivística. Rio de Janeiro: O Arquivo, 2004. 167 f.

BALMANT, Fabricio Vieira. Terminologia arquivística brasileira: estudo exploratório de publicações e termos. 2016. 252f (Dissertação) Mestrado Profissional em Gestão de Documentos e Arquivos, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2016

BRASIL. Lei nº 8.159, de 8 de janeiro de 1991. Dispõe sobre a política nacional de arquivos públicos e privados e dá outras providências. Disponível em: <https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8159.htm>. Acesso em: 15 jul. 2020.

BELLOTTO, Heloísa Liberalli. Arquivística: objeto, princípios e rumos. São Paulo: Associação dos Arquivistas de São Paulo, 2002

_______. A terminologia das áreas do saber e do fazer: o caso da arquivística. Acervo - Revista do Arquivo Nacional, v. 20, n. 1/2, p. 47-56, 2007. Disponível em: <http://hdl.handle.net/20.500.11959/brapci/43962>. Acesso em: 15 jul. 2020.

CALDAS, Maria Aparecida Esteves. Estudos de revisão de literatura: fundamentação e estratégia metodológica. São Paulo: Hucitec, 1986.

CAMARGO, Ana Maria de Almeida; BELLOTTO, Heloísa L. (coords.) Dicionário de terminologia arquivística. São Paulo : Associação dos Arquivistas Brasileiros - Núcleo Regional de São Paulo : Secretaria de Estado da Cultura, 1996.

CUNHA, Murilo Bastos da;CAVALCANTI, Cordélia Robalinho de Oliveira. Dicionário de Biblioteconomia e Arquivologia. Brasília: Briquet de Lemos/Livros, 2008. 451 p.

DOLLAR, Charles M. O impacto das tecnologias de informação sobre princípios e práticas de arquivos: algumas considerações. Revista Acervo, v. 7, n. 1-2, p. 3-38, 2012.

DUCHEIN, Michel. Os Arquivos na Torre de Babel: problemas de terminologia arquivística internacional. Acervo, Rio de Janeiro, v. 20, n. 1-2, p. 13-22, jan/dez 2007. Disponível em: <http://revistaacervo.an.gov.br/seer/index.php/info/article/view/126>. Acesso em: 2abr. 2020.

FUSTER RUIZ, F. Los inicios de la archivística española y europea. Revista General de Información y Documentación, v. 6, n. 1, p. 43-77, 1966

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

MARCONDES, Danilo; JAPIASSÚ, Hilton. Dicionário básico de filosofia. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1996.

MULLER, S.; FEITH, A.; FRUIN, R. Manual de arranjo e descrição de arquivos. 2. ed. Tradução Manoel Adolpho Wanderley. Rio de Janeiro: Ministério da Justiça e Negócios Interiores; Arquivo Nacional, 1973.

NOVO DICIONÁRIO AURÉLIO DE LÍNGUA PORTUGUESA. Rio de Janeiro, Editora Nova Fronteira, 1986.

RANGEL, K. S. Revisitando o princípio da proveniência: percepções sobre a organicidade. 2015. 101f. Dissertação (Mestrado Profissional de Gestão de Documentos e Arquivos) – Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2015.

RODRIGUES, Ana Márcia Lutterbach. Uma análise da teoria dos arquivos. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação). UFMG, Belo Horizonte. 2004.

RONDINELLI, Rosely Curi. O Conceito de documento arquivístico frente à realidade digital: uma revisitação necessária. 2011. 270f. Tese (Doutorado em Ciência da Informacão) – Universidade Federal Fluminense, Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação, Instituto de Arte e Comunicação Social, Instituto Brasileiro em Ciência e Tecnologia, Niterói, 2011. Disponível em: <https://www.siarq.unicamp.br/siarq/images/siarq/publicacoes/preservacao_digital/tese_rondinelli.pdf>. Acesso em: 10 jul. 2020.

SCHMIDT, Clarissa Moreira dos Santos. Arquivologia e a construção do seu objeto científico: concepções, trajetórias, contextualizações. 2012. 320 f. Tese (Doutorado em Cultura e Informação)-Escola de Comunicações e Artes, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012. Disponível em: <https://teses.usp.br/teses/disponiveis/27/27151/tde-02072013-170328/pt-br.php>. Acesso em: 01 jul. 2020.

SILVA, Armando Malheiro et al. Arquivística: teoria e prática de uma ciência da informação. Porto: Afrontamento, 2002.

Downloads

Publicado

2021-01-01

Como Citar

Rangel, K., & Silva, M. C. S. de M. e. (2021). Princípios e características de documentos arquivísticos: algumas questões terminológicas. ÁGORA: Arquivologia Em Debate, 31(62), 1–21. Recuperado de https://agora.emnuvens.com.br/ra/article/view/946

Edição

Seção

Artigos